Brasília ganha novo serviço de bicicletas e patinetes compartilhados

O objetivo, é que o serviço compartilhado ajude a compor o deslocamento de pedestres pelas ruas da capital

serviço compartilhado
Créditos: Gabriel Jabur/Agência Brasília

Depois de algumas tentativas falhas já conhecidas, chamamento público no Diário Oficial do DF prevê a implementação de novo Sistema de Bicicletas e Patinetes Públicos compartilhados do Distrito Federal. Organizações interessadas na implantação, operação e manutenção do serviço podem conferir as especificações técnicas na página da Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob).

Todos os serviços relacionados a implantação, operação e manutenção do sistema do serviço compartilhado não serão custeados pelo Governo do Distrito Federal (GDF). Semelhante ao anterior, as empresas responsáveis também terão que oferecer planos variados para usuários eventuais, habituais e de uso cotidiano. A novidade da vez, é que o edital exige que as tarifas das bicicletas e patinetes poderão ser cobradas por meio do sistema de integração ao bilhete único do transporte público coletivo.

Os veículos estarão disponíveis em locais com maior demanda de locomoção, cumprindo assim o maior objetivo de integrar o deslocamento dos pedestres com o transporte coletivo. As áreas atendidas são Plano Piloto, Lago Sul, Lago Norte, Sudoeste/Octogonal, Cruzeiro, Noroeste, Taguatinga, Ceilândia, Águas Claras, Vicente Pires, Jardim Botânico, São Sebastião, Paranoá, Itapoã, Guará I e II, SIA, SCIA, Candangolândia, Núcleo Bandeirante, Santa Maria, Gama, Park Way, Recanto das Emas, Samambaia, Riacho Fundo I e II, Planaltina, Sobradinho.

Serão 7 lotes que oferecerão no mínimo 1.200 bicicletas e patinetes em pelo menos 2.040 vagas em pontos estratégicos onde os transportes serão acessados. Em caso de necessidade, o serviço pode ser ampliado. Após a assinatura do contrato e de escolher o melhor plano que atenda as necessidades do cidadão, os equipamento estarão disponíveis em até 75 dias.

Disponível para acesso em tempo integral (24 horas) para retirada e devolução. Cada pessoa poderá optar por veículos comuns ou motorizados, movidos a energia elétrica com potência de até 35w e velocidade máxima de 20km/h. Todos serão dotados de equipamentos de segurança obrigatórios e atenderão as normas e especificações técnicas que visam assegurar o bom uso do sistema.

Má experiência

serviço compartilhado
Créditos: Pedro Ventura/Agência Brasília

Bicicletas em péssimas condições, pneus furados, correntes quebradas e estações sem sinal frequentemente lotadas. Esta era a realidade de quem precisava usar o serviço anterior bicicletas compartilhadas. O estado de descaso com o sistema, fez com que empresas concorrentes que realizam o mesmo tipo de serviço, parasse de enxergar o DF como lugar de interesse para a implementação.

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?