Covid-19: Máscara inteligente ajuda a manter a distância entre pessoas

Máscara inteligente

Dizem que toda crise abre as portas para novas oportunidades. Orlan Almeida confirma esse pensamento. O engenheiro criou uma máscara inteligente para ajudar na luta contra o coronavírus

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda atenção a higiene pessoal, lavar as mãos, o uso de máscaras e manter a distância de, pelo menos, 1,5m entre as pessoas. Estas indicações trouxeram um questionamento a Orlan Almeida: “será que toda a cidade pode reabrir desde que use máscara e mantenha uma distância segura?” A preocupação   Foi aí que nasceu a máscara inteligente desenvolvida pelo engenheiro.

Brasiliense e engenheiro de produto, Orlan Almeida conversava com uma amiga sobre o retorno às atividades, como aulas e trabalho. Dessa conversa veio o questionamento: como as pessoas vão manter a distância uma das outras? E então veio a solução: “porque não criar uma máscara inteligente, algo capaz de sinalizar a outra pessoa que ela está muito perto”.

Assim, Orlan desenvolveu uma máscara, feita de algodão (como recomenda a OMS), com sensores capazes de detectar e alertar a aproximação de outras pessoas. Com a novidade é possível manter a distância segura recomendada pela OMS. 

Máscara Inteligente

A inovação criada por Orlan já foi patenteada e neste momento, há conversas com parceiros e possíveis clientes. A solução é voltada para empresas que precisam que as pessoas respeitem a distância, como em escolas, academias ou outros negócios, que tenderiam a ter alguma aglomeração.

A máscara dispõe de um sensor de led, localizado no exterior da máscara, que muda de cor caso a pessoa ultrapasse a distância. A detecção só é possível se a outra pessoa também estiver usando a máscara inteligente. 

Os sensores são como os encontrados em controles remotos, e a bateria é a mesma utilizada por eles, a CR 2032. O usuário pode remover o sensor para fazer a higienização da máscara, estando limpa, basta recolocar o sensor. 

Estima-se que o preço das máscaras para o consumidor final seja semelhante ao valor da N95, por volta de R$ 50.

Empresas interessadas no produto podem entrar em contato diretamente com o Orlan (61 992184343). O engenheiro estima que o tempo de produção de um lote com mil unidades seria de 30 dias.

Veja mais no vídeo abaixo:

 

O uso da máscara

No início de abril, o Ministério da Saúde começou a recomendar o uso das máscaras caseiras, feitas de algodão, para a redução da contágio pelo novo coronavírus. Naquele mês, a Comissão de Acompanhamento e Controle de Propagação do Coronavírus da Universidade Federal do Paraná (UFPR) uma nota técnica atestando a eficácia do novo hábito.

Membro da comissão, a professora Lucy Ono destacou os outros trabalhos que o grupo tem estudado, como um realizado na Alemanha que identificou a eliminação de uma alta carga viral por assintomáticos. “Como não estamos fazendo testes, qualquer um de nós poderia estar assintomático e transmitindo“, comenta. 

Dois meses depois do início da recomendação do Ministério da Saúde, várias regiões do país exigem o uso de máscara ao sair de casa, no Distrito Federal, por exemplo, quem não estiver usando e se recusar a colocar a máscara poderá ser multado, o valor é de R$ 2 mil.

 

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?