fbpx

Investimento seguro: especialista explica a importância do planejamento antes de entrar no mundo das aplicações

Investimentos
Créditos: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Contexto digital popularizou o fundo de investimentos para o mundo, mas é necessário entender o cenário antes de depositar as economias

Nunca se falou tanto sobre investimentos como nos últimos anos. Com o aumento das demandas de profissionalização sobre o assunto, está cada vez mais comum encontrar pessoas que ofereçam cursos e capacitações sobre o tema. O mundo dos investimentos é um segmento que exige pesquisa e muito conhecimento, por isso é imprescindível estar por dentro do mercado antes de se aventurar e sair depositando dinheiro aonde achar mais conveniente. Uma pesquisa recente do Clube de Investimento, B3 mostrou que aproximadamente 73% dos novos investidores procuram dados sobre isso na própria internet, e que outros 60%, são motivados por influenciadores digitais.

Em razão da popularização do ambiente digital, muitas pessoas têm se inserido na tendência do investimento, o que para muitos profissionais representa algo positivo, tendo em vista que grande parte da comunidade, está cada vez vez mais preocupada com a segurança financeira. Mas, os analistas alertam sobre a necessidade de estar inserido num contexto e num momento propício.

 “Admiro que os brasileiros estejam cada vez mais cedo buscando conhecimento sobre o assunto. Mas entendo que esse tipo de investimento é algo que está no topo, no final de um planejamento consciente que precisa começar lá atrás”, opina Ricardo Loureiro, Planejador Financeiro CFP® e sócio-fundador da Cilp Partners.

Controle

Para Loureiro, a palavra chave do mundo de invest15imentos é organização. “De nada adianta poupar e investir seu dinheiro se a sua base, ou seja, sua própria vida, não está sólida”, contrapõe. “Às vezes, é necessário dar vários passos para trás e pensar no básico”, sugere.

O especialista pontuou que o ramo de investimentos é semelhante a planejar e construir um prédio: “você precisa cuidar do terreno, fazer terraplanagem, fincar as estacas, calcular as estruturas, para depois construir andar por andar.”

Os cuidados com o terrenos seria a consciência das despesas de viver o agora, como as compras do mês, o cartão de crédito e as despesas mensais. A fundação do solo corresponde a proteção e a segurança, como contra os imprevistos, que podem ser o planos de saúde, seguro do automóvel, de vida e renda. Isso tudo seria a base sólida do seu empreendimento.

Os andares do prédio são as futuras conquistas. Podem ser as reservas de emergência, poupança para trocar de carro, reformar a casa, consórcio, entre outros. “Aqui é preciso pensar na alocação de recursos adequados àquele prazo e a importância de organizar a carteira de investimentos”, comenta Ricardo.

No final, o último andar abriga os sonhos de longo prazo. “Aqui, falo de dinheiro para o futuro, previdência, independência financeira, renda que é resultado de investimento anterior, aposentadoria. Aquele momento em que se quer apenas colher frutos de tudo que construiu na vida”, explica.

Planejamento de vida

O planejador financeiro explica que essa “construção” e a vida financeira precisam estar devidamente alinhadas  “Por mais que seja clichê dizer isso, é necessário estar consciente sobre ela, algo que se tem apenas quando se faz um bom planejamento de vida”, diz. “E ele inclui saber quanto se ganha, quanto se gasta, quanto se poupa e quanto se pretende investir”, completa Loureiro.

Mas o Ricardo Loureiro pondera que levantar esses cálculos e estudar as melhores opções para a própria vida pode não ser tão fácil. “Contar com o auxílio de um bom profissional planejador financeiro pode contribuir muito para um bom resultado no futuro”, sugere. “O importante é entender que, no final, toda essa matemática precisa ser feita com foco no próprio bem estar”, conclui.

Ler esta notícia me deixou:
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?