fbpx

Ferro e Farinha: a melhor pizza do Rio

A Ferro e Farinha é a nova queridinha dos cariocas: vencedora pelo terceiro ano consecutivo do Prêmio Veja Rio Comer & Beber, a pizzaria conquista cada vez mais fãs e se prepara para abrir em janeiro uma nova filial na Barra. A história do empreendimento, liderado pelo chef Sei Shiroma, é incrível. Em 2013, o nova-iorquino casado com uma brasileira largou o emprego de publicitário e veio para o Rio, onde começou a vender pizzas em um trailer. A qualidade diferenciada da massa de fermentação natural, assada na lenha, e as coberturas criativas fizeram fama. Hoje, a Ferro e Farinha tem filiais no Catete, Leblon e em Botafogo – em uma casa charmosa que fui conhecer no último sábado.

Ferro e Farinha
A massa assada na lenha e com coberturas criativas já rendeu prêmios ao chef Sei Shiroma (Divulgação/ Rafael Mollica)

Eu já conhecia o primeiro restaurante da Ferro e Farinha, na Rua Andrade Pertence, no Catete. Quem me apresentou foi minha mãe, sempre ligada nas novidades gastronômicas. Curti bastante a pizza, que tem tamanho individual, massa fina, borda macia e sabores diferentões. O espaço é bem pequeno e pode ser difícil encontrar lugares. Uma boa dica é fazer reserva (vale até 19h) ou chegar próximo da abertura às 18h. O balcão interno deve ter uns 6 assentos, o local é apertado e quente por causa do forno. As mesas na calçada são mais confortáveis. Desde minha primeira ida, já me chamara atenção a estética “moderna-rústica” presente no mobiliário, nas louças.

Ferro e Farinha
A filial Botafogo fica em uma casa charmosa de 2 andares. Em janeiro, a Ferro e Farinha chegará à Barra. (Divulgação/ Rafael Mollica)

Neste quesito, a filial em Botafogo é um deleite para os sentidos! A casa de 2 andares também tem mesas na calçada, mas o grande diferencial é o segundo andar. O clima é descontraído, lounge, com uma boa música ambiente, bar, iluminação baixa, móveis bonitos e teto retrátil. Pode-se optar por mesas convencionais ou mais baixas, perfeitas para compartilhar com uma roda de amigos. Aliás, se a filial Catete não é adequada para grandes grupos, o mesmo não vale para Botafogo. As mesas maiores ficam no primeiro andar.

Ferro e Farinha
O rooftop é o ponto alto da filial Botafogo: clima lounge, música ambiente, mobiliário charmoso e teto retrátil. (Divulgação/ Rafael Mollica)

Mas a expansão do Ferro e Farinha não se limita às filiais: o cardápio também vem ganhando reforços de peso, principalmente no quesito “entradas para compartilhar”. Infelizmente, duas opções não estavam disponíveis no último sábado: Marguro Tartare (R$ 44) – tartare de atum estilo japonês, gema marinada em shoyu, com torradas à lenha; e Cogumelos (R$ 44) – shitake, shimeji e paris grelhados com shoyu, purê de couve flor queimado na lenha, com torradas da casa. A saída foi pedir a Flor de Burrata (R$ 52) – burrata na crosta assada, tomates, manjericão basílico e grana padano.

Ferro e Farinha
Flor de Burrata (R$ 52): burrata na crosta assada, tomates, manjericão basílico e grana padano

A entrada é realmente muito boa: a massa, o queijo, o molho, os tomates. Mas não seria meu pedido, pois ficou muita massa, junto com a pizza. Minha escolhida foi a Picnic Apimentado, aliás, me dei conta que sempre escolho ela no Ferro e Farinha, acho que não resisto à descrição: ricota, mussarela flor di latte, grana padano, gorgonzola e mel picante (R$ 52). Sucesso total! Para acompanhar, Sexo ao Sul: gin Gordons, tangerina, morango, tônica, limão siciliano, mel picante (R$ 31). Saboroso, refrescante, docinho e com o teor alcoólico ideal. Para fechar os trabalhos, mousse de chocolate baiano meio amargo com toque de café (R$ 19). Destaque para a flor de sal que faz um “auê” com o paladar. 🙂

Ferro e Farinha
Sexo ao Sul (R$ 31): gin Gordons, tangerina, morango, tônica, limão siciliano, mel picante.

DICA CARIOCA

O Rio é a primeira cidade do Brasil com um ônibus elétrico inteiramente a serviço da cultura. O projeto “Verão Verde”, da Prefeitura em parceria com a RioTur (@riotur.rio), leva o público para passeios gratuitos por bairros tradicionais da cidade. Neste sábado e domingo, 27 e 28 de novembro, o circuito será em Madureira. O trajeto tem 10 Km e o passeio dura 1 hora, incluindo lugares como Parque de Madureira, Portela, Império Serrano, Mercadão de Madureira, Feira das Yabás e o Viaduto Prefeito Negrão de Lima – onde voltou a acontecer recentemente o famoso baile charme de Madureira. São 5 opções de horários, entre 10h e 17h. Ingressos no link.

Verão Verde
Rio tem o primeiro ônibus elétrico do Brasil dedicado à cultura, no projeto “Verão Verde”. (Crédito: Gui Espindola/ Prefeitura do Rio)

CLIQUE AQUI E OUÇA A PLAYLIST DA COLUNA DESTA SEMANA!

Conheça outras descobertas de Gabriel Versiani pelo Rio de Janeiro em outras edições da coluna Contexto Carioca aqui!

Acompanhe o colunista @gabrielversiani.rj também no Instagram!

Ler esta notícia me deixou:
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?