fbpx

Homens ainda vivem menos: aumento na expectativa de vida do brasileiro é de 0,3%

Créditos: Licia Rubinstein/Agência IBGE Notícias

Tábua de Mortalidade do IBGE acentua diferença na expectativa de vida entre homens e mulheres

O brasileiro acordou na manhã desta quinta-feira (26) na expectativa de prolongar a sua vida durante mais um tempo. A expectativa de vida do Brasil no ano 2019 foi de 76,6 anos, dados da Tábua da Mortalidade, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia (IBGE) informaram que o aumento foi de 0,3 percentuais em comparação com o ano de 2018 (76,3 anos).

Como esperado, as mulheres ainda saem na frente com a maior longevidade de 79,9 anos. Os homens ficam atrás com 72,8 anos em 2018. O IBGE explicou que essa diferença conhecida como “sobremortalidade masculina” pode ser potencializade conforme a faixa etária. Um homem de 20 a 24 anos tinha, em 2018, 4,5 vezes menos chances de chegar aos 25 anos do que uma mulher.

“Esse fenômeno pode ser explicado por causas externas, não naturais, que atingem com maior intensidade a população masculina”, explica o pesquisador do IBGE Marcio Minamiguchi, ressaltando que, em 1940, não havia essa discrepância evidente entre os sexos nos grupos mais jovens. “A partir de meados da década de 80 as mortes associadas às causas externas passaram a desempenhar um papel de destaque. É um fenômeno proveniente da urbanização e inclui homicídios, acidentes de trânsito e quedas acidentais, entre outros”, complementa.

Santa Catarina lidera o ranking nacional com uma média 79,7 anos, para ambos os sexos. Outros estados com valores elevados, acima dos 78 anos, são o Espírito Santo, São Paulo, Distrito Federal e Rio Grande do Sul. No outro extremo, está o Maranhão, com a expectativa em 71,1 anos, e o Piauí, em 71,4 anos. Ou seja, uma criança nascida no Maranhão, conforme a taxa de mortalidade observada em 2018, esperaria viver em média 8,6 anos a menos que uma criança nascida em Santa Catarina.

Cabe ressaltar que a expectativa de vida muda conforme o ano de nascimento da pessoa e o sexo. Por exemplo, quem está com 30 anos agora terá um tempo médio de vida diferente de quem acabou de nascer, é a chamada projeção de sobrevida.

A Tábua da Mortalidade é divulgada anualmente pelo Iesquisa do ano passado (76,3 anos).BGE e usa como referência dados de 1º de julho do ano anterior.

Ler esta notícia me deixou:
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?