Agro 4.0: Programa investirá em tecnologia para o agronegócio

Em parceria com Ministérios, a ABDI vai aplicar R$ 4,8 milhões em 14 projetos ligados à cadeia produtiva do mercado agronômico

A tecnologia está a cada dia mais presente no campo.

Nesta quinta-feira (3), foi lançado o edital do programa Agro 4.0. A proposta é fruto da união da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e os Ministérios da Agricultura (MAPA), da Economia (ME) e da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). A ideia é usar os R$ 4,8 milhões investidos neste plano em 14 projetos pilotos de adoção e de propagação das tecnologias 4.0. Os interessados têm até o dia 26 de setembro para se inscrever.

O presidente da ABDI, Igor Calvet, explicou quais são os principais objetivos do Agro 4.0. “O Programa irá possibilitar e gerar uma maior disseminação de tecnologias digitais no agronegócio, com foco em aumento de eficiência, produtividade e redução de custos junto a produtores e indústrias”. Prova disto é que no Edital contém a modalidade concurso, a qual é direcionada para empresas usuárias de tecnologias 4.0 do setor produtivo. Esta categoria prioriza os produtores rurais e agroindústrias que irão realizar a adoção de tecnologias 4.0 em suas unidades, fazendas e afins. Vale lembrar que as companhias poderão incluir nas propostas parcerias com outras Instituições.

Ao todo, o edital contempla quatro categorias, relacionadas à cadeia produtiva do agronegócio, incluindo empresas dos setores primário, secundário e terciário. Para cada categoria, foram identificadas as seguintes temáticas de aplicação, às quais os projetos deverão estar alinhados: (i) segmento de insumos (fertilizantes, defensivos, rações, máquinas e equipamentos); (ii) segmento primário (agricultura, pecuária, pesca, aquicultura); (iii) segmento secundário (fabricação de produtos alimentícios); e (iv) integração de segmentos, incluindo segmento terciário (integração de elos da cadeia – abrangendo serviços de tecnologia da informação e comunicação, logística, entre outros).

O prêmio varia de R$ 300 mil para até quatro projetos nas categorias 1, 2 e 3; a R$ 600 mil para até dois projetos na categoria 4. Os projetos escolhidos serão apontados ainda neste ano e terão, a partir da divulgação, um período de sete meses para a execução e outros 12 meses para a supervisão dos resultados.

Plano Nacional de Internet das Coisas (IoT)

Regulamentado em 2019, o Plano Nacional de Internet das Coisas – IoT tem a meta de implantar a Internet das Coisas como ferramenta de desenvolvimento sustentável da sociedade brasileira. Na definição das estratégias do Plano, o BNDES sugeriu entre as quatro verticais de aplicação de IoT a área rural. Para cada vertical, foi criada uma Câmara.

A Câmara Agro 4.0 é liderada pelo MAPA e pelo MCTI, possui como objetivo promover ações de expansão da internet no campo e a aquisição de tecnologias e serviços inovadores no ambiente rural. A junta listou o Programa Agro 4.0 da ABDI recentemente como uma das iniciativas acompanhadas por ela.

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, salienta a solene missão de levar conectividade, aliada às novas tecnologias, neste nicho. “Dentro do agronegócio, as aplicações da Internet das Coisas e outras tecnologias 4.0 vão desde a coleta de dados para a melhoria do solo até a aplicação precisa de defensivos, por exemplo”.

 

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?