fbpx

Rede pública do DF autoriza realização de cirurgias eletivas

Créditos: Breno Esaki/Agência Saúde

Procedimentos acontecem até a próxima segunda-feira (14)

Visando o impacto da pandemia da Covid-19, quanto ao bom funcionamento dos hospitais, a Secretaria de Saúde (SES) decidiu manter a realização das cirurgias eletivas até a próxima segunda-feira (14). A principal preocupação, é quanto ao aumento dos número de leitos ocupados que pode aumentar nas próximas semanas. A depender dessa avaliação, as cirurgias poderão continuar após data a prevista.

Petruz Sanches, secretário-adjunto de Assistência à Saúde comentou a taxa de ocupação dos leitos com suporte de ventilação mecânica, que na tarde desta segunda-feira, estava em 56,44%.“A Secretaria procura, com a manutenção dessas cirurgias eletivas, atender também as enfermidades não Covid-19 com toda a segurança necessária neste momento ainda de pandemia por Covid-19”, explica Sanchez.

Desde o dia 2 deste mês, procedimentos como especialidades pediátricas, ortopédica, plástica, geral e coloproctologia já foram retomados. Cirurgias eletivas oftalmológicas, urológicas, ginecológicas e vasculares retomam o atendimento normal em outubro e novembro. A SES manteve em funcionamento os procedimentos oncológicos, cardiovasculares, transplantes e judicializados durante todo o período em que as cirurgias eletivas estavam suspensas.

Créditos: Fotos Públicas

Mais atendimento realizados

Mesmo com todas as restrições impostas pela pandemia de Covid-19, a produção cirúrgica de várias unidades aumentou neste ano, no comparativo com o mesmo período de 2019.

O Hospital da Região Leste, no Paranoá, fez 875 cirurgias gerais até outubro deste ano. No mesmo período de 2019, passado foram 709 procedimentos – um aumento de 23%. Outra unidade que aumentou a produção foi o Hospital Regional de Ceilândia. O HRC promoveu uma força-tarefa em outubro que resultou em 196 cirurgias ortopédicas, representando um aumento de 21% em relação ao mesmo mês em 2019, quando foram realizadas 162 cirurgias.

Já o Hospital Regional de Taguatinga (HRT), entre janeiro e setembro deste ano, registrou 280 cirurgias gineco-oncológicas. Foram cem procedimentos a mais que no mesmo período de 2019, o que representa um crescimento de 56% na produção de cirurgias da unidade.

*Com informações da Agência Brasília

Ler esta notícia me deixou:
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?