fbpx

Plataforma permite empréstimo de materiais e equipamentos entre as empresas

Firjan
Créditos: José Paulo Lacerda/CNI

Organizações poderão anunciar de forma gratuita, maquinários, matérias-primas ou instalações ociosas

Quem é empresário, já deve ter se deparado com equipamentos ociosos que não funcionam há algum tempo, pode ser um produto ou matéria-prima que sobrou da fabricação e está de lado sem valor. Neste caso, a primeira ideia que surge a cabeça é a venda deste recurso, mas para quem pretende dar uma força aos colegas de trabalho e oferecer um empréstimo ou até mesmo um compartilhamento, pode ter chegado a melhor opção. A Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) desenvolveu a plataforma “Conecta Recursos“, que engata a economia por meio da divisão de materiais e máquinas.

Dentro da logística de cada corporação, o reaproveitamento de resíduos já era algo debatido pelos técnicos da Firjan. “A indústria já percebe valor na reutilização e na comercialização de materiais”, disse a especialista em meio ambiente da Firjan, Carolina Zoccoli. Segundo a pesquisadora, as próprias organizações já percebem o poder da reutilização, tendo em vista que se o insumo não apresenta mais função, não há problemas em passar para quem necessita.

Tudo relacionado ao processo de fabricação pode ser divulgado, desde uma matéria-prima da indústria têxtil, por exemplo, adquirida para uma nova coleção, que sobrou mas é de ótima qualidade, até uma oficina que não é utilizada durante o turno noturno. “Com essa prática do compartilhamento, a gente veio percebendo que um laboratório imenso, que só é utilizado durante um turno, ou um período do ano, pode servir a outra companhia”, disse Carolina.

Mudança de Comportamento

Para quem se interessou e planeja colocar a disposição os recursos que possui, a plataforma está aberta somente para pessoas jurídicas com Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) ativo. “Pode ser um laboratório, centro de pesquisa, empresa prestadora de serviços. Não precisa ser só indústria, não”. Ela observou que a plataforma tem o intuito de levar o empresário para essa nova realidade mais colaborativa e evitar o desperdício. “A gente está apostando bastante nesse propósito”.

A economia compartilhada é um modelo de negócio que ganha cada vez mais força, na medida em que estimula o comportamento de consumo mais consciente. A Firjan não interfere na negociação, que é livre entre as organizações interessadas.

*Com informações da Agência Brasil

Ler esta notícia me deixou:
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?