fbpx

Nova temporada do Palavra Negra entra na programação da TVE-ES

palavra
Gravação da entrevista com Adriano Monteiro e escritora Lavínia Coutinho. Foto: Luiz Will Gama

Episódios com entrevistas de escritores e escritoras negros em destaque no Espírito Santo serão exibidos pela TVE-ES, a partir desta quarta-feira (10), com reprise às sextas

Após o sucesso nas plataformas digitais YouTube e Spotify, os novos projetos desenvolvidos pelo Coletivo Palavra Negra entram em exibição na grade da TVE nesta quarta-feira (10/11), às 20h, com reprise nas sextas, às 23h30. Nos programas, que terão meia hora de duração, escritores e escritoras negros em destaque no cenário cultural capixaba falam sobre a literatura afro-brasileira produzida no Espírito Santo, relações raciais e histórias de vida.

O conteúdo a ser apresentado na TVE integra a nova temporada da websérie Palavra Negra: Entrevista, exibida pelo canal oficial do grupo no YouTube, e que apresenta entrevistas com cinco escritores e escritoras de diversos gêneros literários. A websérie Palavra Negra: Entrevista conta com o apoio da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc.

Participam dos episódios os escritores Douglas Freitas, Gustavo Forde, Larissa Pinheiro, Lavínia Coutinho Cardoso e Marciel Cordeiro. Cada programa conta com uma intervenção poética de slamers, como são chamados os poetas que participam de slams, as “batalhas de poesia falada”. Afronta, Ira, João Martins e Júpiter foram os slamers convidados.

A exibição faz parte da programação especial da TVE alusiva ao Dia Nacional da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro. As duas webséries produzidas anteriormente pelo Coletivo Palavra Negra também foram exibidas pela emissora. Para o jornalista e cientista social Adriano Monteiro, um dos fundadores do Coletivo Palavra Negra, a renovação desta parceria proporciona maior visibilidade às ações do grupo. “É mais uma janela de exibição e, consequentemente, de ampliação de audiência para o Palavra Negra, com impacto direto na divulgação e no fomento da literatura afro-brasileira produzida no Espírito Santo. A plataformas digitais têm um papel importante, bem como a televisão. Esta parceria com a TVE demonstra que cada mídia tem seu papel fundamental, quando utilizada de maneira estratégica e correta”, comenta.

O diretor da TVE, Hugo Reis, reforça a importância da iniciativa: “Sempre abrimos as portas da TVE para a cultura e o Coletivo Palavra Negra traz uma importante contribuição em relação à produção da literatura de autoria negra no estado e no país. Estamos muito felizes com esse projeto sendo apresentado em nossa tela e em nossas redes sociais, para que a comunidade possa conhecer mais sobre os nossos escritores”, afirma.

Palavra Negra – Trajetória

palavra
A participação da escritora Larissa Pinheiro no programa. Foto: Luiz Will Gama

Fundado em 2014, o Coletivo Palavra Negra consiste em uma marca que une a produção artística e pedagógica com a proposta de difundir a literatura desenvolvida por escritores e escritoras negros. Sua atuação compreende as plataformas virtuais, com a utilização da linguagem audiovisual, e também as salas de aula, em consonância com a Lei 10.639/2003, que torna obrigatório o ensino da história e da cultura afro-brasileira e africana nas escolas públicas e particulares.

Composto pelos artistas Adriano Monteiro, Daiana Rocha, Janio Silva e Maicom Souza, o Coletivo Palavra Negra estreou em 2016 a websérie homônima, exibida no canal do coletivo no YouTube, na qual jovens poetas negros e negras recitavam textos autorais e textos de autores esquecidos pela literatura hegemônica, que colocavam em discussão temas como o racismo, a mortalidade da juventude negra, o cotidiano das comunidades, a violência policial nas periferias e a desigualdade étnica, entre outras temáticas propostas diretamente para a reflexão. A primeira temporada contou com 28 episódios, e também homenageou as escritoras capixabas contemporâneas Suely Bispo e
Elisa Lucinda. A websérie obteve projeção nacional e internacional, atingindo uma marca próxima a 200 mil visualizações no YouTube.

A segunda temporada, lançada em 2018, reuniu 18 episódios e algumas novidades que demonstraram a preciosidade do projeto. Foram selecionados quatro jovens artistas e poetas da Grande Vitória – Felipe Rocha, Jaiara Dias, Luiza Vitório e Winny Rocha -, além da presença de dois convidados especiais: a poeta, atriz, bailarina e pesquisadora Suely Bispo e o artista multimídia paulista Jairo Pereira. Eles recitaram poesias autorais e de poetas de várias regiões do Brasil, selecionados após uma convocatória nacional. Entre os textos escolhidos estavam autores da Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Pará, Pernambuco e São Paulo.

Em 2019, o Palavra Negra migrou do universo digital para as salas de aula, por meio do projeto Palavra Negra nas Escolas, também selecionado pelo Edital do Funcultura da Secretaria de Estado da Cultura. A iniciativa proporcionou a realização de diversas oficinas do Coletivo em escolas da rede pública estadual e municipal, localizadas em bairros de vulnerabilidade social, nos municípios da Grande Vitória. “Nas oficinas trabalhávamos um pequeno histórico da literatura afro-brasileira ou da literatura negra no Brasil, com algumas curiosidades, mostrando como o racismo é tão naturalizado em nosso cotidiano. Também fazíamos dinâmicas de escrita criativa com os alunos e no final um pequeno sarau com a turma”, lembra Adriano. Outras ações nesse sentido estão sendo preparadas para 2022. Dessa forma, o Coletivo Palavra Negra consolida-se como um dos grandes fomentadores da literatura de autoria negra do país e cumpre o seu objetivo de promover a representatividade negra nos âmbitos social, cultural e educacional.

Programe-se:

Coletivo Palavra Negra na TVE
Exibição da nova temporada da websérie Palavra Negra: Entrevista

Quando: às quartas-feiras, às 20h, nos dias 10/11, 17/11, 24/11, 01/12 e 08/12; com reprises às sextas, às 23h30, nos dias 12/11, 19/11, 26/11, 03/12 e 10/12

Onde assistir: no canal 2.1 e pelas operadoras de televisão por assinatura (canal 5 da RCA e canal 15 da Net); e também no canal do YouTube e no Facebook da TVE.

Escritores e escritoras participantes:

Douglas Freitas
Escritor carioca que cresceu em Cariacica, Espírito Santo. Professor de língua e literatura inglesa pela Universidade Federal do Espírito Santo, ele divide seu tempo entre aulas e escrita de ficção, além de criar conteúdo em seu site, douglasfreitas.art.br . “Adsumus”, coletânea de dez contos, é a sua primeira obra publicada.

Gustavo Forde
Doutor em Educação e professor do Centro de Educação da Universidade Federal do Espírito Santo, onde atua na área da Educação das Relações Étnico-Raciais. É membro do Núcleo Capixaba de Pesquisa em História da Educação (NUCAPHE/Ufes) e do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros (NEAB/ Ufes). Desenvolve estudos e pesquisas em afrodescendência e relações étnico-raciais na educação, com interesse especial nos campos da história da educação, do movimento negro e do ensino de matemática.

Larissa Pinheiro
Escritora, poeta capixaba, modelo e graduanda em Serviço Social pela Universidade Federal do Espírito Santo. Com 22 anos lançou seu primeiro livro de coletânea de  poesias intitulado “Janela da Alma”. É apaixonada por poesias, pelas singelas  coisas da  vida, sempre com amor e respeito a toda forma de diversidade. Larissa acredita no poder acalentador e transformador das artes, especialmente a literária.

Lavínia Coutinho Cardoso
Capixaba, nascida na ilha de Vitória (ES) em 30 de setembro de 1967. É historiadora formada pela Universidade Federal do Espírito Santo, mestra em História Social das Relações Políticas (Ufes), pós-graduada em História Política (Ufes) e pós-graduada em Mídias na Educação (Ufop). É professora de História da Prefeitura Municipal de Vitória e pesquisadora e membra do colegiado do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros NEAB/Ufes. Tem publicações na área de educação, história do Brasil: escravidão e liberdade no século XIX, religiosidade afro no Brasil e narrativas de mulheres negras no Espírito Santo. É autora do livro “Revolta do Queimado” (2020, Editora Appris).

Marciel Cordeiro
Escritor. Graduado em Serviço Social. É o autor do livro “Caminho para Texas”, publicado pela editora Cousa em 2019. Publicou contos e poemas em antologias.

Ler esta notícia me deixou:
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?