Mauricio de Souza: “Quino vive”

O argentino Joaquín Salvador Lavado Tejón, conhecido como Quino, deu vida a uma das personagens mais queridas do mundo dos quadrinhos: Mafalda. Hoje (30), a morte de Quino foi confirmada pelo editor Daniel Divinsky, pelo Twitter.

“Morreu Quino. Toda gente boa do país e do mundo chorará”, foram as palavras de Divinsky.

A causa da morte não chegou a ser divulgada, mas segundo o Clarín, Quino teria sofrido um AVC na semana passada e não resistiu.

Mafalda

Mafalda foi criada para uma peça publicitária em 1962, mas foi rejeitada. Dois anos depois, a menininha de seis anos que fala e pensa como adulto começaria a ganhar o mundo. A personagem que tem como marca um ar astuto, um humor inteligente, trouxe reflexões sobre a existência e também, sobre questões sociais.

Dia de homenagens

Mauricio de Souza, o maior cartunista brasileiro e o criador da Turma da Mônica, relembrou o encontro com Quino em 2015:  

quino

O amigo Quino está agora desenhando pelo universo com aqueles traços lindos e com um humor certeiro como sempre fez. Criou sua Mafalda, hoje de todos nós, no mesmo ano em que eu criei a Mônica, em 1963. Por isso, nos tornamos irmãos latino-americanos para desbravar o mundo dos quadrinhos. Estive com ele em 2015, em Buenos Aires, no Centro Cultural Brasil-Argentina, onde o presenteei com uma Mônica ao lado da Mafalda na comemoração dos 50 anos das duas personagens. Uma pessoa dócil e um dos maiores desenhistas de humor de todos os tempos. Quino vive agora mais forte dentro de nós.

O cartunista Carlos Ruas, criador do ‘Um Sábado Qualquer’ e ‘Cães e Gatos’, que retrata as aventuras de Deus, postou nas redes sociais:

“Eternamente, muito obrigado, Quino.” Foram as palavras no Twitter de Guilherme Infante, a mente criativa por trás do ‘Capirotinho’. Ele também desenhou:

 

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?