Luz que Protege: projeto repagina a luz da Ermida Dom Bosco

A obra é fruto da parceria entre a CEB e o GDF no projeto Luz que Protege. Confira o antes e o depois da instalação das lâmpadas de LED

A Ermida Dom Bosco é um ponto dos pontos turísticos mais frequentados de Brasília. Isto se deve, principalmente, pelo local em que ela foi construída, o qual chama a atenção tanto de um público que está em busca de opções de lazer e contato com a natureza como de outro mais interessado na história, arquitetura e religiosidade. Essa variedade de programações é proporcionada pelo Monumento Natural Dom Bosco, o qual a Ermida integra, conhecido por ser um ótimo ponto para realizar trilhas, caminhadas, andar de bicicleta e de skate, contemplar o lindo pôr-do-sol e tomar banho no Lago Paranoá.

Quem passou por lá para fazer alguma das atividades descritas acima deve ter notado que a iluminação local é composta por luminárias convencionais. Porém, esta realidade acabou na última semana. Isto porque, a CEB e o Governo do Distrito Federal realizaram uma parceria com o objetivo de melhorar a iluminação pública. Neste processo de eficientização, foram gastos R$ 79.236,86 para substituir as luminárias antigas por luminárias de LED. Vale lembrar que o recurso financeiro utilizado foi da CIP – Contribuição de Iluminação Pública.

O superintendente da CEB, Frederico Dourado, explicou a parceria da Companhia com o governo local no projeto Luz que Protege. “ A CEB tem algumas iniciativas em conjunto com o GDF, uma delas é com a Secretaria de Segurança Pública e se chama “Luz que Protege”. O programa visa auxiliar a redução da criminalidade com a melhoria da iluminação pública. Também estamos revitalizando e instalando novos pontos de iluminação pública em locais turísticos, como: a Praça dos Três Poderes, a Catedral de Brasília e o entorno da Torre de TV.”

A voz do povo

Foto: Acervo pessoal da entrevistada

A estudante brasiliense Mariana Oliveira, 21 anos, é apaixonada pela arquitetura e pelos pontos turísticos de Brasília. O que faz com que ela vá aos locais com frequência para visitações, fazer registros fotográficos e sair com os amigos. A brasiliense opinou sobre iluminação da Ermida e alertou sobre a insegurança que ela causava. “Lá é um pouco isolado. Eu acho perigoso, pois o espaço é gratuito e qualquer pessoa pode entrar. Por ter muitas árvores e o lago já é um lugar difícil de ser iluminado, e as luminárias convencionais não estavam cumprindo muito bem seu papel. Isto causa uma certa insegurança e pode ser visto como uma boa oportunidade para bandidos. Diferente, por exemplo, da Orla da Ponte JK que tem as luzes brancas e mesmo que não tenha muita gente passa uma sensação de segurança”.

Oliveira comemorou a mudança na iluminação da Ermida, principalmente por ter uma certa dificuldade em enxergar com a iluminação amarelada. “ Achei a iniciativa muito boa, porque eu não gosto de lâmpada amarela pra nada iluminar nada, acho que mais dificulta minha visão do que clareia. Acredito que a luz de LED ilumina melhor e proporciona um melhor campo de visão, passando mais segurança para os visitantes e colaborando com a vigilância das autoridades”.

O presidente da CEB, Edison Garcia, contou as próximas metas do projeto e o benefício econômico irão trazer. “Iremos auxiliar no projeto de recuperação dos parques que possuem iluminação pública. Vale ressaltar que estamos seguindo a determinação do governador de trocar toda a iluminação pública do DF para LED´s. Consequentemente, há um benefício os cofres públicos em relação a quantidade de energia gasta. Na eficientização feita da Ermida Dom Bosco, por exemplo, as contas podem ter uma média de abatimento de 50%”.

Veja a diferença do antes e depois:

História da Ermida

A Ermida Dom Bosco é uma homenagem a um dos “responsáveis” pela capital do país ser localizada nesse quadradinho. Em 1883, o padre João Belchior Bosco, o santo italiano fundador da Ordem dos Salesianos, sonhou que a terra prometida surgiria entre os paralelos 15 e 20. Juscelino Kubitschek acreditava que essa “profecia” era em referência a Brasília e sempre falava nisso em meio ao planejamento da cidade. 

Após ser convencido por JK, Israel Pinheiro, diretor da Novacap, pediu a construção de uma capela em tributo ao santo para que ele protegesse a futura capital federal. Assim surgiu a Ermida Dom Bosco. O primeiro templo de Brasília foi projetado por Oscar Niemeyer e construído no paralelo 15, onde o padroeiro da cidade havia sonhado.

*Com informações e fotos da CEB

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?