Hackathon da NASA: Brasil leva dois prêmios. Somos o país com maior número de participantes da maratona global

Encerramento da edição de Brasília

Foram 25 mil soluções criadas durante o evento que aconteceu simultaneamente no mundo inteiro. Das seis soluções vencedoras, duas são brasileiras.  A edição de Brasília foi a maior do país em número de participantes. 

Empreender é preciso! E a galera que participa dos Hackthons já entendeu bem este recado, e o número de brasileiros interessados em criar soluções inovadoras não para de crescer. A organizadora da edição de Brasília do Nasa Space Challenge, o Hackathon da Nasa, Carine Elpídio  destacou que o “Brasil recebeu menção honrosa inclusive da incubadora (da Agência Espacial Americana). Fomos o maior do mundo de participantes, cidades e com mais soluções diferenciadas propostas”. A edição de Brasília foi a maior do Brasil em número de participantes: foram 1013 pessoas diretamente envolvidas com o evento. A capital também se destacou como a com o maior número de mulheres na maratona,  somando um total de 493.

As duas soluções brasileiras vencedoras, criaram projetos para limpeza dos oceanos. A equipe Massa de São Paulo -SP criou uma rede neural que ajuda a detectar os vazamentos de óleo nas praias brasileiras. Ela é capaz de analisar muitas imagens em busca de pontos de derramamento de óleo. Essa API pode ser usada por aplicativos de terceiros ou sistemas governamentais para melhorar o ganho de tempo de resposta a um desastre ambiental. O prêmio conquistado foi  “Impacto Galáctico: a solução com maior potencial para melhorar a vida na Terra ou no universo“.  A Equipe Massa é formada por Ariel Betti, Eduardo Ritter, Felipe Ribeiro TansoJoana Ritter e Ricardo Ramos.

Equipe Massa de São Paulo-SP

 

Já a equipe  Cafeína de Salvador-BA levou o prêmio “Melhor uso de hardware: a solução que exemplifica o uso mais inovador de hardware”, eles criaram um sistema de coleta de plásticos no oceano que atrai os microplásticos através de uma corrente eletrostática que direciona o lixo para as embarcações existentes que fazem viagens por todo território marítimo. O equipamento compacta o lixo coletado e os navios fazem o transporte até o porto de destino. A solução aproveita a própria rota das embarcações.  A equipe Cafeína é formada por Antônio Rocha, Genilson Brito, Pedro Dantas, Ramon de Almeida e Thiago Barbosa.

Equipe Cafeína de Salvador-BA

Elpídio destacou ainda que “a educação, o empreendedorismo e a inovação mudarão o rumo da economia do Brasil”. E nós do Contexto também acreditamos  categoricamente nesta teoria, a vamos fazer a nossa parte divulgando e apoiando sempre projetos como este.

 

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?