Fim do modo parasita: Netflix testa recurso que limita o compartilhamento de contas

Netflix
Créditos: Netflix/Divulgação

Usuários receberão notificação que questiona se são os proprietários da conta em que estão assistindo

A prática é normal, tendo em vista que uma conta possibilita a criação de até quatro perfis. É muito comum que os proprietários dividam e-mail e senha para outras pessoas terem acesso ao conteúdo disponibilizado. Mas, essa iniciativa pode estar com os dias contados. De acordo com um site norte-americano, a plataforma de streaming, Netflix, informou nesta quinta-feira (11), que está testando um recurso que restringe a divisão das credenciais, dessa forma, quem quiser ter acesso a séries, filmes e desenhos ilimitados, terá que criar o seu próprio login e pagar pela assinatura.

Segundo a revista, alguns usuários podem receber uma notificação que questiona se a pessoa é a verdadeira dona da conta ou não, ou se utilizam credenciais que não as pertencem. Após a notificação, surge uma mensagem que diz:  “Se você não vive com o dono desta conta, você precisa criar sua própria conta para continuar assistindo”. Posteriormente, a pessoa será redirecionada automaticamente para uma página de criação de conta.

Quem viver ou residir com o proprietário, não precisa se preocupar. A informação não trata sobre as contas divididas financeiramente, no qual existe o compartilhamento de e-mail e senha, mas os usuários repartem o valor da assinatura.

Em uma declaração ao portal Deadline, um porta voz da Netflix anunciou:

“Esse teste foi designado para ajudar a garantir que as pessoas usando as contas da Netflix estão autorizadas para fazer isso.”

Prejuízo

Netflix
Créditos: PixaBay/Banco de Imagens

É importante lembrar que no momento da concepção da assinatura, o usuário precisa concordar com os termos de serviço que deixam claro que a conta é “para uso pessoal e não comercial, e que ela não pode ser compartilhada com indivíduos além da sua residência.”

Em 2019, Greg Peter, produtor chefe e CEO da Netflix, afirmou que a organização estava a procura de uma solução amigável para resolver a pendência. Mas que o compartilhamento de contas, seria um um grande problema para a plataforma.

O programa, Parks Associates, fez um levantamento e averiguou que em 2020, foi o ano mais lucrativo para a empresa, com 37 milhões de novos assinantes, mas afirmou que ela havia perdido cerca de 9.1 bilhão de dólares em razão do compartilhamento de contas. A pesquisa calcula que o prejuízo chegue a 12.5 bilhões em 2024.

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?