fbpx

Festival Cinema Ambiental da Serra Catarinense será em setembro

ambiental
Imagem da produção Ibiapaba, como nascem as montanhas. Crédito: divulgação

De 14 a 18 de setembro, o festival irá exibir online e cinco produções por dia

O Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra Catarinense (Ficasc) chega à terceira edição, promovendo e compartilhando arte, cultura e informação. A primeira edição, em 2019, ocorreu em formato presencial, na Serra Catarinense. Assim como em 2020, em decorrência do cenário atual, o evento deste ano será totalmente online, com rica programação, e acontecerá entre 14 e 18 de setembro.

O Ficasc busca levar conhecimento e entretenimento a todo público, crianças, adultos e idosos, proporcionando a reflexão necessária sobre assuntos socioambientais de extrema importância, através da exibição de filmes de diversos países, distribuídos entre curtas, médias e longas metragens.

Alguns filmes serão exibidos com audiodescrição, legenda descritiva e também em Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), prezando pela inclusão social e dando a possibilidade de portadores de deficiência visual e auditiva curtirem o Festival. Serão liberados na plataforma online em torno de cinco filmes por dia, ficando as obras disponíveis por um período de 24 horas.

O Ficasc cumpre quatro dos 17 objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), lançados pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2015, sendo eles: Educação de Qualidade (4), Redução das Desigualdades (10), Cidades e Comunidades Sustentáveis (11) e Ação Contra a Mudança Global do Clima (13).

Somando-se as duas primeiras edições do Ficasc, já foram exibidos mais de 100 filmes. Em 2021, serão exibidos em torno de 25 filmes, dos mais de 1.600 inscritos.

O Ficasc também levará uma programação exclusiva ao Arquipélago dos Açores, na Ilha de São Miguel, Portugal, juntamente ao Cinema Sem Conflitos, Expolab (Centro de Ciência Viva) e Escola Secundária Antero de Quental.

Os alunos de escolas públicas e a comunidade local dos Açores terão sessões de cinema gratuitas presenciais entre 18 e 23 de outubro.

Para mais informações, acesse: https://www.ficasc.com.br/

Sinopses

Confira um pouco das produções que serão exibidas durante o festival:

Ibiapaba, como nascem as montanhas (2021)

Brasil
O curumim Apuã completou 12 anos e agora tem sobre si a responsabilidade de salvar sua Tribo e mudar seu próprio destino.
Direção: George Alex Barbosa

Produção: Elisabete Magalhães

Gênero: Infantil/Animação

Pureza (2019):
Brasil
Filme inspirado em episódios reais, conta a história de uma mãe, Pureza, que sai em busca de seu filho, Abel, desaparecido após partir para o garimpo na Amazônia. Em sua busca, acaba encontrando um sistema de aliciamento e cárcere de trabalhadores rurais.

Pureza se emprega numa fazenda, onde testemunha o tratamento brutal de trabalhadores e o desmatamento da floresta. Escapa e denuncia os fatos às autoridades federais. Sem credibilidade e lutando contra um sistema forte e perverso, ela retorna à floresta para registrar provas.

Direção: Renato Barbieri
Produção:Elisa Tolomeli
Gênero: Ficção

Resplendor (2019):
Brasil
A Comissão Nacional da Verdade, instalada em 2011 para apurar crimes cometidos durante a ditadura militar, trouxe a público um capítulo ainda muito obscuro da nossa história: a existência de um centro de detenção indígena, na cidade de Resplendor (MG), chamado Reformatório Krenak. Instalado primeiramente dentro do território da etnia Krenak, e posteriormente transferido para Carmésia, aprisionou e torturou não apenas indígenas Krenak, mas diversas outras etnias como os Pataxó, impondo restrições às suas práticas ancestrais sob implacável vigilância dos militares. O documentário mostra como funcionou esse campo de concentração, e as consequências desse trauma coletivo para os povos indígenas afetados.

Direção: Claudia Nunes, Erico Rassi
Produção: Cristiane Miotto
Gênero: Documentário

Mara, el viaje de la elefanta (2020)
Argentina
Um elefante nascido em cativeiro busca alcançar algo semelhante à liberdade.

Direção: Luciano Nacci
Produção: KM Sur
Gênero: Documentário

Carapau de Espinho (2021):
Portugal
Em uma cidade litorânea portuguesa chamada Espinho, uma pequena comunidade de pescadores aposta diariamente com o oceano.

Direção/Produção: André Roseira
Gênero: Documentário

Ler esta notícia me deixou:
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?