fbpx

FAM Festival reúne música e gastronomia em São Paulo

Bocadilho de Jamon do Paella Pepe. Foto: Divulgação.

Na edição que acontece neste próximo final de semana, dias 11 e 12 de dezembro, no Parque Burle Marx, Zona Sul da capital paulista, o FAM Festival apresenta os pratos de renomados restaurantes como o Complexo Gastronomico Priceless: Arabu Bar, que contará com um cardápio especial dedicado ao evento, o Hot Pork da premiada chef e restauranteur Janaína Rueda, Coco Bambu, entre outros.

FAM Festival está de volta e em 2021 presenteia mais uma vez a cidade de São Paulo, nos próximos dias 11 e 12 de dezembro, no Parque Burle Marx, com uma experiência gastronômica proposta pelo evento, que neste ano contará com a presença de restaurantes e food trucks como o Hot Pork, da premiada chef e restauranteur Janaína Rueda, o Coco Bambu e hospedará o Complexo Gastronômico Priceless, que apresentará o Arabu Bar, com drinques preparados pelo mixologista Ale D’agostino.

Além de shows de renomados artistas celebrando a música instrumental, com uma curadoria que inclui nomes consolidados e também revelações da música brasileira como Antonio Neves, Hamilton de Holanda, Roberta Valente Quarteto, Rubens Oliveira e Yaniel Matos com “SER.VIR”, Hamilton de Holanda, Nômade Orquestra, Jazzmin’s Big Band e Leandro Cabral, para citar alguns, além de DJs sets, performances da CIA Base, Kombi dos Sonhos para as crianças, a comida também é atração especial.

Complexo Gastronômico Priceless: Arabu Bar

FAM
Bao de kimchi de caju, salada de camarão com maçã verde, maionese de alho assado e nori do Arabu Bar. Foto: Tatiana Frison.

Abaru bar, que faz parte do recém-inaugurado complexo gastronômico Priceless, com patrocínio institucional da Mastercard, estará presente nesta edição do FAFESTIVAL. Será possível experimentar as delícias concebidas pelo Chef Onildo Rocha e que são servidas diariamente no terraço do edifício Alexandre Mackenzie, onde está localizado o Shopping Light. Durante o FAM, o público poderá experimentar a Tortilla de porco picante, feita com macaxeira e barriga de porco, o bao de camarão, preparado com kimchi de caju, salada de camarão com maçã verde, maionese de alho assado e nori, o tradicional pastel de queijo canastra, queridinho do público que vai ao rooftop, que acompanha uma geleia de cebola caramelizada na rapadura, e o imperdível prato Rubacão com carne de sol, que contém arroz vermelho, fava verde, queijo coalho, nata do sertão e coentro – e também tem a versão vegetariana com jerimum e ovo.

Parar beber, omixologista Ale D’agostino preparou dois drinks engarrafados, o Negroni Jerez e o Sur L’orange, além da soda italiana super refrescante, feita a base de um shot de limão, gengibre e folha de hortelã. E para quem gosta de cafés especiais haverá um café coado com blend exclusivo feito pelo barista Boram Um. Será uma oportunidade ótima para viver experiências únicas degustando delícias e curtindo a programação do FAM.

Hot Pork:

O casal de chefs Jefferson e Janaina Rueda, dos renomados restaurantes paulistanos Casa do Porco, que acaba de figurar a lista entre um dos melhroes restaurantes do mundo, e Bar da Dona Onça, farão parte desta edição do FAM Festival com o seu badalado restaurante de cachorros-quentes, o Hot Pork, que traz no cardápio o clássico cachorro-quente, sucesso do restaurante localizado na Vila Buarque, em São Paulo.

Para os hot dogs são apenas duas versões na opção quente: o clássico Hot Pork da casa e a versão vegetariana o Not Pork. Ambos com poucos ingredientes mantendo o item principal que é a qualidade do que vai em cada um.

Na versão clássica: Pão: feito de batata artesanal super macio, dourado e brilhante Picles: cebola roxa e pepino caipira curtidos. Também artesanal. Salsicha: artesanal e feita com carne suína de verdade, sem qualquer conservante Ketchup: artesanal, de maçã e sem conservantes Maionese: de limão, artesanal e sem conservantes Mostarda: com tucupi, e claro, artesanal e sem conservantes.

Já a versão veggie é igual ao Hot Pork, porém a salsicha suína é substituída pela artesanal vegetariana feita de cogumelos e tofu.

Coco Bambu

As delícias do Coco Bambu, famoso pelo cardápio especializado em frutos do mar, que estiveram no ultimo evento e marcaram sucesso da participação da casa, também estarão presentes em 2021. O Camarão Internacional, carro-chefe da casa, estará presente junto a outros sucessos da casa.

Frank & Charles

A casa de hambúrgueres com residência no Higienópolis, em São Paulo, trará ao mix de comidas do Festival dois de seus grandes sucessos, o hambúrguer 1885 e o SW 1, ambos feitos com carne angús e servidos em pão clássico.

Paellas Pepe:

fam
Bocadilho de Jamon do Paella Pepe. Foto: Divulgação.

O tradicional restaurante familiar do bairro do Ipiranga que tem a veia espanhola presente em todas as suas criações traz para o evento em seu cardápio a famosa Paella del Pepe e o sanduíche de Jamon – Bocadilho de Jamon acompanhado do maravilhoso molho catalão , feito com tomates maduros e leve toque de alho, e todo o frescor da rúcula.

O FAM Festival terá um cardápio com o melhor da culinária contemporânea internacional, incluindo comida italiana caseira do Auguri, petiscos do Sensation como o dadinho de tapioca e o bolinho de jalapeño com provolone, culinária japonesa do SU, lanches de brisket do Betones BBQ e hamburgueres do Batutas, os crepes ao estilo francês da La Cuisine, pizzas da Pizzaria Magrela e costela ao estilo barbecue americano da The Ribs. As sobremesas ficam por conta dos sorvetes e milk-shakes do Majestoso e churros do Little Factory.

O projeto idealizado pela Agência Scheeeins traz para o Brasil o conceito das feiras e festivais realizados ao ar livre na Europa e Estados Unidos em clima de picnic e conta com curadoria da programação musical realizada por Luiza Morandini. O FAM Festival é um projeto que tem apoio da Lei de Incentivo a Cultura do Governo Federal e o patrocínio da Mastercard.
LINE-UP DE ATRAÇÕES E SHOWS DO FAM FESTIVAL:

SÁBADO

12h30 – Roberta Valente Quarteto:

Roberta Valente é pandeirista, produtora e pesquisadora da música popular brasileira. Referência no samba e no choro de São Paulo, integra os importantes grupos Chorando as Pitangas, Choro Rasgado e Panorama do Choro. Tocando e ministrando workshops, realizou turnês pelo Brasil e exterior – Austrália, Índia, Nova Zelândia, EUA, Argentina, Uruguai, França e Holanda.

Nesta apresentação vai dividir o palco com Edmilson Capelupi, no violão de 7 cordas, Vitor Lopes, na gaita e Cleber Silveira, no acordeom. Aí podemos incluir: No repertório do quarteto, músicas de Radamés Gnatalli, Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Abel Ferreira, Esmeraldino Salles, Luiz Gonzaga.
15h – Rubens Oliveira e Yaniel Matos apresentam “SER.VIR” – Dança e Música:

SER.VIR é uma performance que nasce a partir do encontro de dois artistas: o bailarino Rubens Oliveira (Brasil) e o músico Yaniel Matos (Cuba). 

“A música tem uma conexão direta com a expressão. E a expressão gera movimento”  – foi esse pensamento que levou os artistas a trazerem a reflexão sobre o papel do servir nas relações sociais. As almas se encontram para servir. O que estamos a construir? Que sociedade queremos estar? Servir foi o que tocou a nossa alma para fazer arte.

17h30 – Antonio Neves:

Jovem arranjador e multi-instrumentista carioca, nova aposta do selo britânico Far Out Recordings, especializado em música brasileira, apresenta pela primeira vez em São Paulo, no Fam Festival, seu mais recente show “A Pegada agora é essa”! No show reunirá grandes músicos da cena carioca com quem gravou “A Pegada Agora É Essa” e terá como convidada especial a pianista Louise Woolley. No repertório expressam-se com liberdade através de clássicos, como Summertime, Luz Negra e Noite de Temporal, e de composições de Antonio, criando um espaço de autoria para a banda e os convidados. Explorando a  liberdade do jazz atravessada por ritmos brasileiros, como o Partido Alto (A Pegada Agora É Essa), Jongo (Jongo no Feudo e Luz Negra), toques do Candomblé (Noite de Temporal), Umbanda (Forte Apache) e o Funk carioca (Simba)”. Um espaço para invenções, expurgos, delírios e risadas.

Antonio começou a tocar profissionalmente aos 14 anos de idade, em shows de samba de gafieira. Pouco a pouco, ascendeu entre seus pares e logo passou a acompanhar nomes de destaque da cena nacional como Teresa Cristina, Hamilton de Holanda e o próprio pai, o renomado maestro e instrumentista Eduardo Neves.

Do regional ao universal, do popular ao erudito, do samba ao rap, dos ritmos latinos ao jazz, passando pelo bom e velho rock’n’roll (foi arranjador do aclamado álbum Little Electric Chicken Heart, de Ana Frango Elétrico, eleito Revelação Musical de 2019 pela APCA – Associação Paulista dos Críticos de Arte).

Com Antonio Neves (trombone), Eduardo Santana (trompete),Pedro Fonte (bateria), Gus Levy (guitarra), Glauber Seixas (guitarra), Filipe Castro (percussão), Lucas Videla (percussão), Louise Wooley (piano) e Paulo Emmery (baixo).


19h30 – Nômade Orquestra:

Em crescente visibilidade no atual cenário da música instrumental brasileira, o grupo traz consigo uma característica singular e de vanguarda, explorando diferentes vertentes e expressões musicais que interagem de forma única, desenvolvendo um trabalho autoral de música instrumental com influências do funk70, jazz, dub, rock, afro beat, ethio grooves e outras expressões musicais. Formada em 2012 sua identidade musical pode se dar ao resultado da miscigenação cultural que existe no Brasil, sobretudo o ABC Paulista, lançou o primeiro disco em 2014 no Brasil e em abril de 2016 internacionalmente pelo renomado selo inglês FarOut Recordings. Vem realizando turnês pela Europa em renomados festivais e casas de show, o grupo lançou os álbuns “EntreMundos” (2017) e“Vox Populi / Vox Machina” (2019). Após o hiato causado pela pandemia do Covid19, a Nomade Orquestra realiza seu primeiro show gratuito e ao ar livre nesta edição do FAM Festival, marcando o início das celebrações de 10 anos da estrada que acontece em 2022!

DJ Ronaldo Evangelista (Som Veneno):

DJ, pesquisador e produtor musical, Ronaldo Evangelista integra o selo Som Veneno, o coletivo de DJ Veneno Sound System e o projeto Goma-Laca, que explora o universo musical brasileiro gravado em discos de 78 rotações (entre 1902 e 1964). Ronaldo foi produtor musical dos álbuns “Olorum” de Mateus Aleluia e “Donato Elétrico” do João Donato. É jornalista e foi curador musical de eventos como Cedo e Sentado do Studio SP, da festa Olé no Tapas Club e de projetos especiais na gravadora YB.

Live Painting com Mari Mats, Belca e Maravilixo (Andrea Ribeiro e Carol Cherubini) – Ao longo do dia:

Mari Mats

Mari Mats é uma artista urbana, autodidata nascida e criada em São Paulo foi a partir do que via nas ruas da cidade e vendo a cultura urbana que crescia ao seu redor que começou a desenvolver seus trabalhos. Inquieta por natureza, sua trajetória retrata essa inquietude. Com passagens por galerias, empenas e muros de cidades do Brasil e da Europa sua trajetória inclui pinturas e desenhos com diferentes técnicas e suportes, tendo como resultado imagens bastante gráficas, que dialogam com uma estética surrealista e resultam numa linguagem única de personagens. Todas as suas obras têm em comum uma alegria nas cores e nos muitos olhos que sempre estão presentes e em universos únicos que faz lembrar a personalidade da artista.

Belca

Mãe, empreendedora, artista, Belca se formou em Design pela Faculdade Belas Artes de São Paulo. Em mochilão na Europa, desbravou a Renascença, o Art Nouveau e o Modernismo. Morou em Londres e se aproximou da arte de rua e das intervenções urbanas. De volta a São Paulo, se aventurou na área de criação de agências de comunicação, no mundo corporativo de uma grande multinacional difundindo a cultura digital, trabalhando de perto com grandes agências de publicidade brasileiras. Hoje, dedica-se ao seu trabalho autoral, desenvolvido a partir de um método de composição em recorte e colagem de papel, com formas e cores fortemente inspiradas na natureza e responsáveis por levar significado, bem-estar e harmonia para as pessoas.

Maravilixo (Andrea ribeiro e Carol Cherubini)

Mulheres do Coletivo Maravilixo, voltado para a ressignificação dos resíduos domésticos por meio arte e do design: Andrea Ribeiro, arquiteta e Carol Cherubini, designer de moda.

DOMINGO:

12h30 – JAZZMIN`S BIGBAND:

Pioneira por ser exclusivamente feminina a partir de instrumentos dos universos popular e erudito, as 17 musicistas combinam seus talentos em uma experiência musical única. Como resultado, a banda tem sido reconhecida pela crítica como uma das principais revelações da música instrumental latino-americana. Idealizada pela saxofonista Paula Valente e pela pianista Lis de Carvalho, a Jazzmin’s, com particular sonoridade, cria uma combinação de diferentes instrumentos, como vibrafone, clarinete, clarone, trompa e flautas.

O concerto do FAM Festival será o primeiro concerto após o hiato da pandemia e também o primeiro desde a partida precoce da querida guitarrista Renata Montanari, a quem o grupo presta homenagem neste show.

Com Marta Ozzetti (flautas), Laís Francischinelli, (clarinete) , Fabrícia Medeiros (clarinete, clarone), Paula Valente (sax alto, soprano e flauta), Beatriz Pacheco (sax alto), Taís Cavalcanti (sax tenor), Mayara Almeida (sax tenor), Isabelle Menegasse (trompa), Grazi Pizani (trompete e flugel), Estefane Santos (trompete e flugel), Cindy Borgani e Sheila Batista (trombones), Carol Oliveira (vibrafone/percussão), Lis de Carvalho / Mariô Rebouças (piano), Gabi Gonzalez (guitarra e violão), Gê Côrtes (baixo elétrico e acústico) e Priscila Brigante (bateria).

15h – Leandro Cabral celebra Letieres Leite:

Letieres Leite foi um dos maiores nomes da música brasileira do século. Professor luminoso, nos trouxe um sopro afro para a pedagogia musical, arranjo, composição e performance no Brasil jamais visto. Seus trabalhos tão originais com a Orkestra Rumpilezz e seu Quinteto nos legaram discos antológicos, além de arranjos cheios de dendê para grandes nomes, como: Gil, Caetano, Bethânia e Ivete. Leandro Cabral foi aluno e amigo do maestro Letieres.  A partir do primeiro contato com ele, sua visão de mundo foi transformada e tem estudado, composto, lecionado e gravado música instrumental dentro desse contexto tão peculiar e inovador. Seu álbum Alfa é fruto desse rico encontro, onde pode contar com as gentis palavras do mestre no encarte. Esse show visa celebrar a memória e obra do gigante baiano que nos deixou tão cedo. Letieres foi e é revolução negra de proporções ainda inimagináveis e sua dança ecoa pelo país invocando as claves ancestrais.

Pianista, compositor, arranjador e educador, Leandro é um músico de São Paulo de destaque em sua geração. Influenciado pelos mundos coloridos de Letieres Leite e Tânia Maria, alça seus vôos também inspirado em Hancock e Glasper. Em seu álbum, “Alfa”, gravado ao vivo no Teatro Alfa em São Paulo, Leandro, junto ao seu trio, mescla a improvisação do jazz em composições autorais baseadas em ritmos pouco usuais para essa formação, como o vassi e o ijexá, ambos oriundos do universo percussivo afro-brasileiro. Tem colhido grande sucesso na crítica nacional e internacional, com reviews nos EUA, Canadá, Japão, Reino Unido, Rússia, Espanha, entre outros. O álbum “Alfa” recebeu 5 estrelas no consagrado site estadunidense All About Jazz; foi selecionado na lista dos “10 Melhores Discos ” pelo crítico musical Carlos Calado (Folha de São Paulo); no site italiano especializado Argonauta Magazine ocupou o 2o lugar na lista “Best Jazz Albums”, além de receber “Menção Honrosa” na lista do site Embrulhador.

17h – Ricardo Herz e Vanille Goovaerts com Alice Vaz e Guegué Medeiros – “Ronco do Violino, Forró de Rabeca”:

Para esquentar as nossas almas e esqueletos, um dos grandes nomes do violino popular, Ricardo Herz, idealizou esse forró instrumental onde, com a instrumentista francesa, Vanille Goovaerts (também no violino e rabeca), e com os brasileiros Guegué Medeiros e Alice Vaz (nos zabumba e triângulo), o violino se confunde com a rabeca numa misturada onde a lei é o balanço. Xote, baião, forró, xaxado, choro, clássicos em versões instrumentais e composições próprias são as pedidas desse baile. Nesse forró a tradição e o novo se convidam para dançar e não se largam mais a noite inteira.

Com Ricardo Herz (violino, rabeca), Vanille Goovaerts (violino, rabeca), Guegué Medeiros (zabumba) e Alice Vaz (triângulo)

19h30 – Hamilton de Holanda – Maxixe Samba Groove:

Hamilton de Holanda. Foto: Rodrigo Simas.

O bandolinista, improvisador e compositor multipremiado Hamilton de Holanda lança seu mais novo trabalho Maxixe Samba Groove.

Maxixe Samba Groove é uma ode ao balanço, aos ritmos brasileiros e universais que deixam as pessoas conectadas com o groove. Inspirado na alegria de sua experiência com Baile do Almeidinha, que o músico faz há 10 anos no Circo Voador, o show é para mexer as cadeiras, jogar o braço para o alto e ser feliz. Um dos pontos altos do repertório A conexão do Choro com o Jazz. “Minha música tem muita gratidão, alegria de viver e superação. É música feita de coração a coração. As harmonias, profundas, fáceis e complexas. O Rítmo constante e suingado, como minha vida. É música que faz dançar. Eu quero proporcionar ao ouvinte experiências emocionantes e memoráveis. Música que transforma, que alimenta, que educa, que entretem. Música pra unir as pessoas na eterna busca pela beleza. O Som é híbrido, presencial e online. É vintage, seguindo o lema de sempre: Moderno é tradição.” diz Hamilton.

As composições são um misto de Choro, Samba, Bossa nova, Xote, Jazz, Reggae, Afro, Maxixe, Pop, Rock, Música Indiana, Baião, Flamenco entre outros.

Maxixe Samba Groove é HAMILTON DE HOLANDA no Bandolim, ANDRÉ SIQUEIRA , percussionista que já tocou com Maria Rita, Zeca Pagodinho, Ivan Lins, Martnália, Simone, entre outros. André nasceu no mesmo ano e na mesma maternidade que eu, a Casa Maternal de São Cristóvão(rj). ANTONIO NEVES, baterista e multi-instrumentista que tocou bateria no disco todo. Antonio é um dos expoentes da nova geração de músicos com seus discos muito bem recebidos pela critica e jovens ávidos a boa música, é um dos arranjadores do novo disco de Marisa Monte. THIAGO ESPIRITO SANTO é um músico que participa de outros projetos que tenho e é uma unanimidade quando se fala em Baixo, é um dos músicos mais requisitados e reconhecidos do Brasil.

DJ K_ri:

Karine Rossi aka DJ K_ri é uma artista ligada ao poder que a música tem de transformar o estado emocional das pessoas. Sua mistura de ritmos da black music, com temas étnicos de várias nacionalidades, garante sets alegres, muito dançantes e com um refinamento que se transformou em sua marca registrada. A DJ, que se apresentou nos clubs Lions, Caos, Vegas, Casa 92, Tapas, além de muitos eventos – principalmente, relacionados ao universo da moda/beleza (Diesel, Hair Brazil, ROC) apresenta sets elegantes de eletronic music e repertório exclusivo de vertente negra, que vai do original funk ao afro-funk, numa dinâmica surpreendente.

Destaque no projeto Deepbeep, K_ri divulgou seu mixtape eclético e sofisticado. A DJ também teve seu repertório sonoro escutado no programa Back to Black, da Oi FM.

SÁBADO E DOMINGO:

“Corpos Suspensos – Uma experiência vertical” – Cia Base | Performance

Com direção de Cristiano Cimino, o show/instalação “Corpos Suspensos” apresenta coreografias que mostram a relação de afeto e superação do corpo com a cidade,onde artistas desafiam seus limites, habitando e fomentando de forma sensorial e atuante o seu patrimônio arquitetônico, artístico, cultural, social e ambiental, criando formas geométricas e desenhos no ar, transmitindo sensações e transformando o espectador. No contexto do FAM Festival no Parque Burle Marx, bailarinas voadoras em situação limítrofe onde a natureza e a dança vertical se encontram. Uma viagem sensorial entre a dança, a natureza, o movimento e a arquitetura.

*Dupla Equilibra Performance com Gustavo Ollitta e Lucero Ponce | Performance

Gustavo Ollitta (@gollitta) é um artista circense que vem desde 2007 fazendo pesquisas no meio das Artes Circenses e manipulação de Malabares, como o Buugeng o qual foi o artista pioneiro no Brasil a levar a mesma arte para seu país e mundo afora. Formado no curso de formação circense na Scuola Di Cirko Vertigo (Itália), Lucero Ponce (@chaskasiri) artista a qual vem dedicando sua vida em pesquisas na Dança do Ventre, Manipulação de Bambolês e Flow arts envolvendo o Fogo, Luz em suas performances.Formada Recentemente como Professora de Yoga na Tailândia e Dançarina de Dança do ventre a 6 anos, Lucero traz um estilo original em suas pesquisas levando à audiência um show místico e memorável. Juntos formam a companhia “Equilibra”, uma combinação de culturas e técnicas únicas.

Kombi dos sonhos | Espaço criança

Este  projeto especial é da empreendedora cultural Tatiana Weberman, que lançou os bem-sucedidos Slow Movie e SlowKids. Segundo a Tatiana, “A proposta é estimular todos os sentidos, tornando o aprendizado mais ativo e explorador, favorecendo os vínculos sociais e inspirando momentos de concentração, com benefícios diretos à saúde. A Kombi dos Sonhos também desperta o consumo crítico e consciente, estimula a atividade física e contribui para a inserção da criança na natureza e com isso ativa o espírito de conservação e a vontade de ocupação de espaços públicos”.

 

SERVIÇO:

5ª edição do FAM Festival 2021

Local: Parque Burle Marx (Avenida Dona Helena Pereira de Moraes, 200 – Vila Andrade, São Paulo – SP)

Data: 11 e 12 de Dezembro de 2021.

Horário: entre 10h e 21h

Evento Gratuito

 *IMPORTANTE: O evento disponibilizará serviço de vans gratuito a partir do estacionamento do Hipermercado Extra Morumbi (Av. das Nações Unidas, 16741)

Ler esta notícia me deixou:
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?
%d blogueiros gostam disto: