fbpx

Espaços coworking crescem em ritmo exponencial a cada ano

coworking
Créditos: Vida de Coworking/Reprodução

Atualmente, todas as cinco regiões do país já possuem escritórios que aderem ao formato compartilhado

Quem teve a chance de abrir o próprio negócio, sabe que trata-se de um processo longo, burocrático e com muito custo. Como alternativa para escapar dessas adversidades, profissionais de todas as áreas de atuação têm investido nos coworkings. Os ambientes compartilhados são ideais para troca de experiência e economia. Os interessados dividem o espaço, equipamentos de escritório, salas e em troca, economizam nas despesas e ampliam a capacidade de atendimento.

A proposta não é nova, mas nos últimos anos ganhou um crescimento considerável em algumas regiões do país. De acordo com o censo Coworking Brasil realizado em 2019, o mercado da modalidade segue em ampliação exponencial ano após ano. O estudo consultou 220 escritórios distribuídos nas cinco regiões do país. Quase 43% dos entrevistados estão em São Paulo, onde a modalidade reina em absoluto.

Em 2019, existiam 1.497 escritórios compartilhados conhecidos no Brasil. Dessa forma, o aumento foi de 25% em relação a 2018, quando 1,194 estabelecimentos se registraram. Em comparação com 2015, a expansão foi ainda maior com 650%.

A instituição Coworking Brasil considerou todos os municípios brasileiros que contam com mais de 100 mil habitantes. Segundo uma pesquisa elaborada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em agosto de 2018, 317 cidades no Brasil possuíam a população superior a 100 mil pessoas. Desse total, 195 detém a presença de escritórios coworkings. O único estado que não consta na lista é Roraima.

São Paulo lidera o ranking de cidades com mais espaços compartilhados. Na capital, são 388 estabelecimentos. Rio de Janeiro aparece em sequência com 129 escritórios. Todo o top 15 é formado por capitais, com exceção de Campinas (SP), Joinville (SC) e Sorocaba (SP).

Além disso, 12% afirmaram atuar em segmentos específicos em detrimento de ambientes multidisciplinares. Dentre esse número, 4% trabalham em indústria criativa, 3% estão no setor de tecnologia e os outros 5% se distribuem em outros nichos.

Tempo de inovação

coworking

Depois de 30 anos no comando de consultórios odontológicos tradicionais em João Pessoa (PA), o casal de dentistas Heleno e Fernanda Moraes encontraram a solução que precisavam no conceito de economia compartilhada. “Quando decidimos retornar para São Paulo, no ano passado, mesmo durante a pandemia, não sabíamos bem como faríamos. Não queríamos mais investir em um consultório próprio, justamente, pela parte de gestão que o negócio demanda. Logo, pensei no “tradicional” e que teríamos de encontrar algum outro dentista que quisesse dividir conosco o seu espaço, nos alugar uma sala em sua clínica, algo nesta linha. Eu não imaginava que existisse algo como um coworking odontológico! Que fosse possível pagar por hora o uso de um consultório tão bem equipado”, comenta Heleno Moraes.

A OPT.DOC oferece 10 consultórios odontológicos totalmente equipados e com o trabalho de uma assistente de sala incluso para atender dentistas ao custo máximo de R$150 por hora. O coworking ainda oferece outros benefícios como Central de Raio-X própria, Fresadora para confecção de próteses em até uma hora, scanners digitais que agilizam o trabalho dos profissionais, além de recepção e atendentes humanizadas.

Para a dupla, a principal vantagem é ficar livre dos problemas administrativos que envolvem a direção dos empreendimentos. “Não ter de me preocupar com a gestão, apenas pensar no paciente é o melhor dos mundos para mim. Tanto que não temos intenção de abrir um consultório nosso novamente”, completa o profissional.

Setor no Distrito Federal

coworking
Créditos: IntegraDOC/Divulgação

Com tempo de sobra em decorrência da pandemia, o empresário e cirurgião dentista, Dr. Marco Pedrazzi, percebeu que seria o melhor momento para tirar os projetos do papel. O idealizador decidiu seguir a tendência no mercado, e abrir o próprio coworking no centro de Brasília. O ambiente é direcionado a profissionais de saúde de todas as áreas.

“Uma coisa que sempre me incomodou foi o fato de que nós, empresários da saúde, fazemos investimentos altíssimos, e muitas vezes acabamos com equipamentos e salas com ociosidade, causando um prejuízo muito grande. Então comecei a pensar em compartilharmos esse espaço, o que seria vantajoso para ambas as partes”, disse Marco.

O ambiente conta com seis salas para atendimentos, recepção equipada, papelaria para receituários e atestados, espaço para cursos, além de possuir diferentes modelos de contratos que se adaptam às necessidades de cada usuário.

Dentre os benefícios do IntegraDOC, Dr. Pedrazzi destaca os modelos de contratos que podem incluir desde secretária, auxiliar, e equipamentos, possibilidade de networking com colegas de profissão, estrutura completa com custo dividido, e a facilidade de agendas flexíveis. “Venho apresentando essas propostas, e investindo em equipamentos, softwares e estrutura, além de apostar na educação continuada e capacitação, auxiliando em vários setores os colegas da saúde”, revela.

Os valores de locação são ajustados conforme as necessidades de cada profissional. Os interessados mandam um e-mail  (contato@integradoc.com.br) e posteriormente, passam por uma avaliação do perfil. Depois do processo, recebem um valor personalizado e exclusivo.

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?