Discurso arrojado

Ninguém pode negar que o discurso do presidente Jair Bolsonaro na abertura da Assembleia da ONU foi, no mínimo, arrojado. 

O chefe do poder Executivo abordou os temas que estão em pauta diariamente. Pandemia, Amazônia, queimadas e cooperação internacional. 

Como eu já te disse por aqui: desconfie de todos. Tenha isso em mente para seguir a leitura.

Covid-19

Ele começou falando da pandemia do coronavírus. No papel, o chefe do Planalto lamentou cada morte ocorrida. Bolsonaro alertou: “tínhamos dois problemas para resolver: o vírus e o desemprego, e que ambos deveriam ser tratados simultaneamente e com a mesma responsabilidade”.

Será que vimos isto? Ou será que vimos o presidente andando por aí sem máscara e provocando aglomerações? 

“O vírus foi politizado”. 

Eu concordo com esta afirmação. A pandemia virou uma briga dentro da esfera política. Governadores, prefeitos, legisladores, presidente, todos bradando alguma coisa. Fora dos holofotes, pessoas imploravam por uma vaga em uma UTI para salvar um parente.

Alguém me explica essa conta? Como as parcelas do auxílio emergencial somam mil dólares? Consultei a minha calculadora e a resposta foi: 4.200 reais. 5 parcelas de 600 e 4 parcelas de 300. Convertendo para dólar (cotação do dólar comercial: 5,48), 766 dólares.  

“Estimulou, ouvindo profissionais de saúde, o tratamento precoce da doença”. Ele estaria falando do kit covid? Com cloroquina e remédio de verme?

Essa frase é muito delicada, vou deixar ela aqui e prefiro nem comentar: “Não faltaram, nos hospitais, os meios para atender aos pacientes de covid”.

discurso arrojado
Foto: Marcos Corrêa/PR

Meio-ambiente

“Somos líderes em conservação de florestas tropicais”. 

Você acredita nisto? Você acredita que as queimadas são inevitáveis?

E esse capítulo: 

“Em 2019, o Brasil foi vítima de um criminoso derramamento de óleo venezuelano, vendido sem controle, acarretando severos danos ao meio ambiente e sérios prejuízos nas atividades de pesca e turismo”

A suspeita, em outubro de 2019, era que o óleo seria venezuelano, mas houve a confirmação disso? E quais as responsabilidades do governo Venezuelano? Tenho mais perguntas do que respostas para este trecho do discurso.

Cooperação

Bolsonaro falou o que está na Constituição Federal, artigo 4º. As relações internacionais são regidas pelos princípios de defesa da paz, cooperação, concessão de asilo político e prevalência dos direitos humanos. 

Que país é esse?

Ao ler o discurso, fiquei com a impressão de estar vivendo em um universo paralelo. No Brasil em que me encontro, o Pantanal e Amazônia seguem em chamas, o pequeno ou o  médio empresário sofre para pagar as contas, os trabalhadores perderam renda e muitos estão desempregados. 

Esse Brasil do discurso funcionaria em um mundo não conectado. Naquele mundo em que já vivemos, ali dos anos 1960 ou 1970 ou ainda, do início do século XX. Quem tem acesso à internet hoje é um produtor de conteúdo. A informação flui a uma velocidade inimaginável. E por isso eu te pergunto: quem pode acreditar totalmente no discurso de hoje?

Não me acuse de ser comunista, porque não sou. Eu apenas desconfio e questiono as informações que me cercam.

Não queria, mas preciso falar desta questão mencionada no discurso: “cristofobia”. 

Não queria entrar nesse tema porque envolve uma polêmica complicada…. Só quero aproveitar e fazer uma provocação: cristão ou não, todos nós deveríamos ter o direito de ser quem nós somos. Todos devem ter o direito de ter a fé que quiser ter. Ninguém deveria morrer por ser cristão, por ser mulher, por ser negro ou por ser LGBTQ.

A defesa da vida deveria ser a nossa prioridade.

Até a próxima!

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?