fbpx

DF: Roda de Conversa “A Cultura e o Sagrado” será neste domingo (19)

sagrado
Manoelzinho Salustiano. Foto: Daniel Valverde

Sabedoria de Terreiro encerra um ciclo de oficinas sobre cultura de terreiro, com personalidades importantes como o doutor honoris causa Manoelzinho Salustiano.

No próximo domingo, 19/06, a partir das 10h, no Ilê Axé Oyá Bagan, acontece o encerramento do projeto formativo Sabedoria de Terreiro, com entrada gratuita e aberta ao público.

O encontro celebra o fim de ciclo de oito oficinas sobre cultura de terreiro, organizados sobre quatro eixos: dança, percussão, ervas e canto. Para a ocasião, foram convidados dois mestres de culturas populares e dois de terreiro para dialogar sobre A Cultura e o Sagrado. A ideia é reunir o público tradicional da casa com a juventude curiosa sobre a temática.

A comunidade encontra-se, portanto, com Mestre Manoelzinho Salustiano e Mestre Tico Magalhães representando as tradições populares, e Ialorixá Mãe Baiana com Axogun Nilton Cesar apresentando a ancestralidade de terreiro. A mediação dos debates fica por conta da presidente do Instituto Rosa dos Ventos, Stéffanie Oliveira. 

Manuelzinho conta um pouco sobre o significado de sua presença nessa roda: “minha participação será pela troca de experiências, desde um lugar de pertencimento, que é o terreiro. Então, vamos falar um pouco das nossas lutas, expor nossa vivência, entre outras conversas. Para mim, estar ao lado de Tico Magalhães e de Mãe Baiana é uma honra, porque são pessoas que tenho como referência. Tudo isso dentro de um terreiro é ainda melhor. Então, quando a gente se reunir com todas essas pessoas, vamos conversar sobre assuntos que esperamos que possam servir para outras”.

Para que essa tradição oral siga adiante, é muito importante o apoio institucional aos terreiros, porque eles têm potencial de educar, afirma Mãe Baiana. A ialorixá complementa: “por meio dos terreiros, sejam eles os tradicionais de matrizes africanas, de cultura popular, como o de samba pisado, os de maracatu, samba de coco e vários outros, podemos ensinar os saberes da diversidade cultural e, assim, valorizar, potencializar e manter forte essas culturas”.

Cultura e Sagrado

A memória dos povos de matrizes africanas é griot, ou griô, indivíduo que, na África Ocidental, tem por vocação preservar e transmitir as histórias, conhecimentos, canções e mitos do seu povo pela tradição oral.

Passada das pessoas mais velhas para a juventude, a riqueza cultural dos povos de matrizes africanas possui sua formação na oralidade. E é por meio dela que o evento de encerramento tratará da indissociação do sagrado das culturas populares e das afro-brasileiras.

Stéffanie também compartilha suas expectativas: “esperamos que essa roda de conversa seja tão potente, vibrante e sensacional como foram as oficinas desta edição do Sabedoria de Terreiro. As quatro personalidades que convidamos para o debate são nacionalmente importantes para a cena cultural tradicional. Então, não esperamos nada menos que um encontro rico, pleno de ideias que alimentam, informam, desmistificam e contribuem para que as matrizes africanas e o saber popular sejam passados adiante”.

Para tanto, de um lado da mesa, vozes como a de mestre Manuelzinho Salustiano, filho mais velho de Mestre Salú, primeiro Doutor Honoris Causa de Cultura Popular pelo campus Mata Norte da Universidade de Pernambuco (UPE), e representante Maracatu de Baque Solto; juntamente com Tico Magalhães, educador, escritor, ilustrador, designer, produtor e mestre de cultura popular do DF, além de fundador do grupo Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro.

Do outro lado do diálogo, Mãe Baiana, escritora e coordenadora da Política de promoção e proteção da diversidade religiosa, junto ao governo do Distrito Federal; ao lado de Axogun Nilton César, outra referência de destaque no que se refere às raízes de matriz afro.

Essa é uma iniciativa do projeto Sabedoria de Terreiro, realizado pelo Ilê Axé Oyá Bagan e pela Rosa dos Ventos, com fomento da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do DF e apoio do Circuito Candango de Culturas Populares.

Serviço: Roda de Conversa sobre A Cultura e o Sagrado – Encerramento do ciclo de oficinas Sabedoria de Terreiro.
Horário: a partir das 10h.
Data: Domingo – 19/06.
Local: Ilê Axé Oyá Bagan – Núcleo Rural Tamanduá – Brasília, DF, 70297-400.
Redes sociais: https://www.instagram.com/rosadosventosinstituto/https://www.instagram.com/ileaxeoyabagan/
Site: https://rosadosventosinstituto.com.br/

Ler esta notícia me deixou:
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?
%d blogueiros gostam disto: