fbpx

Confira a agenda da 2a fase do Territórios Culturais

CapTal Graffiti participará da programação do evento. Foto: CapTal Graffiti/Divulgação

Segunda etapa do projeto Territórios Culturais traz uma série de atividades para o mês de agosto e setembro

Com o intuito de promover a cultura e o acesso às pessoas, o Territórios Culturais anuncia a segunda etapa e as próximas atividades a serem propostas pelo projeto. No formato digital, a intenção é conseguir levar as oficinas e formações para mais pessoas do Distrito Federal e do país.

Cinema, movimentos populares, a arte de rua são alguns dos eventos previstos para acontecer durante agosto, setembro e outurbo.

Confira as atividades e veja como participar:

CASA AKOTIRENE

Contrapondo à visão reducionista de Quilombos, tidos meramente como espaços para abrigar povos negros e indígenas, nestes territórios há estáveis processos de estruturação social, de lutas por direitos e de reconexão com ancestralidade. A Casa Akotirene, definido como quilombo urbano localizado em Ceilândia, firma-se na luta de direito à moradia para a comunidade preta feminina e LGBTQIAP+, reconhecimento de ancestralidades diaspóricas, desenvolvimento de identidade afro-brasileira e afirma a presença, não só de uma perspectiva rural, mas enquanto existência urbana e cosmopolita. Atualmente, o espaço se configura em “Associação Cultural Casa Akotirene Quilombo Urbano”, que teve início do seu processo de institucionalização em dezembro de 2020.

Dias: 11, 18 e 25 de agosto, às 10h – youtube.com/channel/UCLRW8M6Pzo2I68Ncyp7e1gQ

Oficina de Dança Afro: Com base na dança dos Òrìşà, a oficina se traduz através da motricidade dos contos e feitos de algumas divindades que fazem parte do panteão Yoruba, entendido no Brasil como parte da cultura diaspórica afro-brasileira e africana. Inscrições: forms.gle/hTc8zJhXxzCGuv17A

Dias: 8, 15 e 22 de setembro, às 10h –youtube.com/channel/UCLRW8M6Pzo2I68Ncyp7e1gQ

Oficina de escrita criativa: A oficina é uma investigação das formas instintivas de comunicar através das palavras. Voltada para narrativas – e identidades – que propõe a reinvenção da história e da realidade, o conteúdo da oficina recupera a tradição de contar histórias a partir do estudo e produção de obras e fragmentos considerados ‘afrofuturistas’.

MAPATI

Dia 16 de agosto, às 19h – youtube.com/user/ciamapati

Oficina sobre como elaborar termos de fomento da MROSC – Da ideia inicial ao empenho.

COLETIVA PRETINHAS

Dia: 18 de agosto, às 20h – Instagram: @coletivapretinhas

Promove instigante roda de conversa sobre moda e apropriação cultural. O encontro, virtual, contará com intérprete de Libras.

Dia: 1º de setembro, às 20h – Instagram: @coletivapretinhas

Fortalecer a identidade das mulheres pretas é o que propõe a Coletiva Pretinha com a realização de roda de conversa [virtual], onde serão debatidos temas acerca da cultura ligada à ancestralidade e ao autocuidado.

Dia: 15 de setembro, às 20h – Instagram: @coletivapretinhas

Roda de conversa [virtual] sobre produção cultural e seu impacto no cotidiano da sociedade. Participam do evento artistas, gestores/as e produtores/as culturais.

Dia: 29 de setembro, às 20h – Instagram: @coletivapretinhas

Debater os novos formatos para realização de eventos artísticos em meio à pandemia é o que propõe a roda de conversa – Desafios de Produzir Atividades Culturais On-line. O bate-papo terá mediação e presença de produtoras/es culturais que atuaram fortemente durante o confinamento imposto pela pandemia.

TERRITÓRIO CULTURAL DO PARANOÁ

Dia: 19 de agosto às 19h – abre.ai/territorioparanoa

Felipe Fiúza, luthier e músico com extensa atuação pelo Brasil e no exterior, ministra oficina de construção de instrumentos percussivos a partir de materiais recicláveis e/ou reutilizáveis.

Dia: 07/09 às 19h – Ingressos abre.ai/cinecoco ou pelo e-mail: territorioparanoa@gmail.com

Em cartaz desde 6 de julho, o Território Cultural Paranoá realiza o Cine Coco, um clube de cinema virtual com a apresentação de seis sessões de cinema. A ideia é aproximar a comunidade do cinema nacional, estimular a formação de plateia e dar continuidade à difusão do cinema brasileiro, desta vez em formato on-line. Segundo Janú Ário Jr, idealizador do Festival de Cinema do Paranoá e curador do Cine Coco, “promove, durante os 90 minutos de sessão e debate entre realizadores e espectadores, um espaço de protagonismo das narrativas dos mais diversos movimentos de periferia”. Todas as sessões do Cine Coco serão exibidas de forma virtual, nos canais do Território Paranoá.

Dias: 02/09, 07/10 e 19/11 às 19h – abre.ai/territorioparanoa

arteterapia como meio para estimular o autoconhecimento. Em uma roda de conversa virtual, o Território Cultural Paranoá lança mão de linguagens artísticas para criar dinâmicas e diálogos a fim de promover bem-estar e fortalecimento dos vínculos entre participantes. As rodas são espaço de acolhida, empoderamento, criação de vínculos, troca de saberes e experiências entre mulheres; um encontro resistência, um manifesto afetivo. Constituem um conjunto de ações, com formação, vivências artísticas, movimento do corpo, um espaço de acolhida e confiança que fortalecerá o autocuidado e cuidado na sua dimensão política, coletiva, individual e subjetiva.

AFROCOMUNIDADES

Dias: 15, 22 e 29 de agosto, e 5 de setembro, das 14h às 18h – presencial com inscrição prévia.

Oficinas de Adereços Afro: A cultura africana em cores, formas e estilo influencia a moda afro-brasileira e a cultura regional. Nesta oficina, Rogério de Oyá ensina como confeccionar adereços, que, a seu ver, “são instrumentos que reforçam a identidade cultural e a beleza afro-brasileira, cria um estilo próprio e contribui na afirmação da identidade através da estética”, comenta Oyá.

Dias: 19 e 26 de setembro e 03, 10, 17 de outubro, das 14h às 18h – presencial com inscrição prévia.

Oficinas de confecção de Agbés (Xequeres): Com a transmissão dos saberes de Edson Edinho, serão transmissões com passo a passo de como confeccionar um Agbe/Xequere, contando a história desse instrumento, mostrando diversas formas de trançar a rede, ensinando toques com esse instrumento ancestral que faz parte da manifestação cultural brasileira, visando também aproximar a comunidade aos saberes tradicionais da cultura popular.

A PILASTRA

Dia: 26 de agosto, às 19h – youtube.com/channel/UCCwls_QnLrlVQmY98oPhNVw

Live sobre arte educação convida para um diálogo sobre diferentes aspectos dentro do campo das artes.

Dia: 22 de agosto e 19 de setembro, às 19h – open.spotify.com/show/0z85stG6NWjVxp7bionewk?si=vGFZcz0BRzKgwtZdaEtdjQ&dl_branch=1

Podcast dedicado a pensar as diferentes possibilidades de carreiras dentro da arte. Pensando desafios, desdobramentos, caminhos, vitórias e percalços, e tendo em vista a precarização e a invisibilização da cultura, assim, consequentemente, a dos trabalhadores culturais no Brasil de hoje para além dos desafios impostos pelo digital.

AS SEBASTIANAS

Dia: 22 e 23 de agosto, às 19h – youtube.com/channel/UCsH4XEgaERogau9dGFcp-5w

Agência potencializadora de artistas em São Sebastião promove junto à Biblioteca Exu do Absurdo o “Do Pixo Aos Livros”, produção que estuda a literatura periférica e suas expressões e linguagens. Estreia pelo canal do YouTube da coletiva (https://abre.ai/youtubesebastianas) e no cinema da Escola Galeria Chicão (CED São Francisco).

TRANZINE-SE

Dias: 23, 25, 28, 30 de agosto, e 9, 10, 11 e 22 de setembro – informações e inscrições: instagram.com/diana.salu

Transzine-se – Laboratório de fanzines:

Um espaço para experimentar a criação, expressão e invenção (de si, de outres, do mundo) através das zines. Proposto por Diana Salu o curso explora as possibilidades das zines – publicações impressas feitas de forma autônoma usando ferramentas como xérox e outras – para a expressão individual em diferentes áreas como a escrita, o desenho, a colagem, os quadrinhos, a fotografia, o design – em um movimento que estimula a troca e a pluralização de vozes. Todos os módulos, no total de quatro, se costuram pela exploração da criação direcionada à publicação impressa em fanzines. Ao final, cada participante terá uma publicação autoral e os trabalhos produzidos serão digitalizados e disponibilizados na zineteca virtual do projeto. O curso é voltado exclusivamente para pessoas trans (travestis, transexuais, transgêneros e pessoas não binárias). Lançamento do site do projeto e inscrições a partir do dia 12.08.

MERCADO SUL

Dias: 27 de agosto, 3 e 15 de setembro, às 16h – instagram.com/mercadosulvive/

Série de cursos, oferecidos a toda a comunidade do DF, traz oficinas de capacitação artística, de saberes tradicionais e de tecnologias sustentáveis. Entre os temas a serem abordados nas aulas estão teatro e cultura popular, mobilidade urbana através da bicicleta, artesanato e mídias sociais. Realizar esta série, segundo os coordenadores, significa “valorizar os saberes populares, estimular a troca e horizontalizar conhecimentos”, pontuam. Através do compartilhamento destes conteúdos, pretende-se “instrumentalizar pessoas e coletivos, potencializar trabalhos e pavimentar caminhos para a geração de renda local”, destacam.

POESIA NAS QUEBRADAS

Dias: Ainda a serem definidos

20 representes das artes visuais do grafite participam de ação que cobrirá muros externos de cinco Escolas da Rede Pública de Ensino em Planaltina. A ação tem por objetivo neutralizar a frieza de paredes lisas com obras de arte, que, através de imagens buscam estimular o pensamento crítico e amenizar a aridez urbana. Artista receberão ajuda de custos e material necessário para realizar suas obras. Cada obra vai cobrir uma área de 2x3m de parede.

Dia: 2 de outubro, às 19h – youtube.com/channel/UCwe2eb78r1Dal3huWRgzhxw

Um FestSarau Poesia nas Quebradas fecha o ciclo de atividades promovidos pelo território Poesia nas Quebradas. O evento contratará com a participação de artistas representantes da cultura Hip-Hop em suas cinco vertentes – DJ, Breaking, Grafitte, Rap e conhecimento. O Sarau contará também com o lançamento e distribuição gratuita da 2ª Ed. do livro PNQ.

Ler esta notícia me deixou:
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?