fbpx

Clássicos são esperados na Semana de Vela de Ilhabela

Clássicos
Foto: Divulgação

Grandes nomes da Vela de Oceano disputam a classe, como Torben Grael e o velejador olímpico Manfred Kauffmann. Barco de Ilhabela de 99 anos de idade e veleiro argentino de 88 anos estão confirmados na competição entre os dias 23 e 30 de julho. Mais de 80 veleiros já se inscreveram

Fotos: Gorría (Crédito: Divulgação), Pepa XVIII e Pepa XIX (Crédito: Divulgação), Lady Lou de Torben Grael (Crédito: Aline Bassi / Balaio de Ideias) e Atrevida na SIVI (Crédito: Aline Bassi / Balaio de Ideias / Acervo SIVI)

A flotilha dos Clássicos virá em peso para a 49ª edição Semana Internacional de Vela de Ilhabela, uma das mais importantes da América do Sul, que acontece entre os dias 23 e 30 de julho, com sede e realização do Yacht Club de Ilhabela e da Prefeitura Municipal de Ilhabela.

Ao menos doze veleiros construídos antes de 1986 já confirmaram presença para a disputa da competição e vão brigar por títulos tanto na classe BRA-RGS quanto na BRA-RGS Clássicos, além de desfilarem beleza e tradição no Canal de São Sebastião. A novidade é que os Clássicos vão disputar pela primeira vez a mais charmosa e difícil regata da competição, a Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil, no dia 24 de julho.

Entre os destaques está o barco Atrevida, de 1923, que completou recentemente 99 anos e está perto de seu centenário que será comemorado junto à 50ª edição da Semana Internacional de Vela de Ilhabela. O barco de 95 pés (29 metros) construído em Boston, nos Estados Unidos, retorna à competição e promete dois treinos em busca de um bom desempenho em Ilhabela (SP) diante de seus 12 tripulantes e mais os comandantes Alexandre Ferrari e Daniela Vidal Gomes: “Estamos muito empolgados com a SIVI. A tripulação já está definida. Faremos dois treinos antes das regatas. A tripulação é experiente, estamos preparando o barco para as regatas. Encomendamos algumas velas novas, fizemos a troca da bitácula por uma no estilo original da época, incorporamos eletrônicos de última geração e refizemos o verniz das cabines e borda falsa. A SIVI tem característica de ventos variáveis e será um desafio interessante”, disse Átila Bohm, skipper do Atrevida.

A Argentina trará seu representante para a classe através do barco Gorria, de 1934, modelo Eslora 13 de 60 metros, um veleiro de madeira que foi restaurado em 2016 e que desde então participa da regata Buenos Aires – Punta del Este. O proprietário Ricardo Scherianz terá as companhias de Francisco Billoch no timão, Maria Fernandez, José Collazo e Pablo Arroces na tripulação. Eles passarão um tempo em Angra dos Reis (RJ) antes de ir para Ilhabela: “A ideia original era só ir para Angra a passeio. Corremos de regatas nos clássicos desde 1994, então apareceu essa oportunidade e anotamos”, conta Billoch: “É muito agradável navegar em um barco de madeira, muito mais silencioso do que um de plástico”, conta o velejador, que começou na vela em 1966 e desde 1971 faz navegações oceânicas.

Entre os brasileiros, outros destaques serão o Lady Lou, que virá com Torben Grael no comando do veleiro construído em 1969. O bicampeão olímpico (Atenas 2004 e Atlanta 1996) retorna à SIVI após quatro anos, quando foi campeão na classe Star. Agora o objetivo dele e da tripulação é diferente: “O barco Lady Lou tem um conceito diferente, é um barco de cruzeiro e não de regata, nosso objetivo na Semana Internacional de Vela de Ilhabela é nos divertir”.

O Kameha Meha data de 1970 e será outro barco importante na disputa. O veleiro, comandado por Mark Essle, já correu a famosa Cape to Rio (Cidade do Cabo – Rio de Janeiro) e virá em busca do título: “O veleiro é um desenho de Bill Trip muito inovador na época com leme elíptico e “flush deck”. Vamos competir com rating da RGS e tentar a taça dos Clássicos contra o Morgazek, Atrevida, Aries, Lady Lou e outros. Vários 43 pés têm velocidade parecida e a regata é divertida na água com lances bem competitivos nas boias e manobras.”

Manfred Kauffmann, campeão mundial da classe Lightning e velejador olímpico na Fly Dutchman, vai guiar o Pepa XIX, modelo classe Brasil 40´ de 1960, enquanto Paulo Ferraz vai guiar o Pepa XVIII, construído em 1956, de modelo igual. Ferraz ficou responsável por restaurar os dois veleiros. “O restauro iniciou com o Pepa XVIII. No meio do caminho, apareceu a oportunidade de comprar o Pepa XIX, que tinha mastro e retranca de madeira original com armação fracionada. Decidiu-se, então, trocar os mastros e, assim, deixar o Pepa XVIII mais original com o mastro de madeira e ferragens de bronze e latão, muitas adquiridas na Argentina. O Pepa XIX ficou com a mastreação de alumínio ao tope”, contou Manfred, que competirá pela primeira vez com o veleiro, mas tem títulos em outros barcos e classes na SIVI. Somente em Oceano, ele ficou com títulos em 1983, 1984, 1992, 1993 e 2009. Ainda foi campeão na Snipe em 1990 e na HPE 25 em 2005.

O MorGazek (“égua do mar”) é um modelo Swan de 48 pés desenhado pelo escritório Sparkman Stephens e construído em 1974. O veleiro foi dar a Volta ao Mundo em 1977 e desembarcou se estabelecendo no Brasil: “A história do MorGazek em particular é muito mais interessante do que isto. O barco chegou no Brasil em 1978 com uma família Francesa, da região da Bretanha, com duas filhas de 3 e 5 anos.A familia originalmente fazendeira, ao chegar ao Brasil, foi conhecer o interior do país. Se encantaram com a qualidade das terras de Goiás, venderam tudo na França e compraram terras se estabelecendo aqui desde então”, disse Eduardo Camara, proprietário que adquiriu o veleiro em fevereiro de 2020 e ficou em segundo lugar na regata Ilhabela – Toque-Toque no ano passado na 48ª edição da Semana Internacional de Vela de Ilhabela.

Outros veleiros Clássicos já confirmados são o Aries, Madrugada, Jão Serena, Beira Mar e Blue Ray.

“Estamos muito felizes com a flotilha dos Clássicos se organizando e vindo em peso para a Semana Internacional de Vela de Ilhabela. Será um desfile de tradição e beleza. É uma pegada diferente, com barcos mais antigos e mais na diversão, mas tem muita gente boa que vai lutar não só pelo título entre eles na classe, mas também na RGS. Fortes nomes como Torben Grael, Manfred Kauffmann, a tripulação argentina do Gorria, o Atrevida, que no ano que vem se torna centenário justo com os 50 anos da SIVI. Todos vão disputar pela primeira vez a regata de Alcatrazes que é a mais concorrida da Semana de Vela”, descreveu Cuca Sodré, diretor técnico da Semana Internacional de Vela de Ilhabela.

Inscrições

As inscrições seguem abertas para as classes ORC, BRA-RGS, C-30, HPE-25, Clássicos, Bico de Proa, Mini e Multicasco, e podem ser realizadas no site – https://www.sivilhabela.com.br/. O segundo lote com desconto vai até o dia 12 de julho. Já são mais de 80 barcos inscritos faltando ainda cerca de 50 dias para a competição. A programação da competição também consta no site do evento.

 

Ler esta notícia me deixou:
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?
%d blogueiros gostam disto: