fbpx

A 53ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro já começou!

A mostra desta vez é online, porém quem reside ou visita a capital federal pode conferir uma exposição de cartazes de filmes na Estação 106 Sul

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O festival de cinema mais antigo do Brasil chegou em sua 53ª edição e começou ontem (15). Em decorrência da pandemia do coronavírus, o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro (FBCB) foi adaptado para a internet e pelo Canal Brasil. Sendo assim, os 30 filmes inéditos escolhidos dentre os 680 inscritos, serão exibidos para a mostra competitiva às 23h.

Mesmo com esta adequação, houve somente uma atração presencial: a exposição “Cartazes Cine Brasília”. Ela é composta por 40 peças de filmes que participaram do festival ao longo dos anos, na Estação de Metrô 106/107 Sul. A estação foi batizada de Cine Brasília para se ter a noção do que significa o lugar para a cultura local. Vale lembrar que ele abriga o FBCB e foi arquitetado por ninguém menos que Oscar Niemeyer.

A abertura contou com a presença do secretário de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal, Bartolomeu Rodrigues, que conferiu cada peça exposta. “A ideia é transformar essa exposição, que segue até 15 de fevereiro, em permanente. Isso porque essa estação de metrô chama-se Cine Brasília. Por trás de cada um desses cartazes, temos a história política e cinematográfica do país, com cartazes de filmes brasilienses, brasileiros e até internacionais”, contou.

Uma história contada pelos cartazes

A importância dessa exposição está diretamente ligada a um dos pilares curatoriais dessa edição de 2020: a memória. Érica Lewis, a Diretora executiva do FBCB, fez questão de abrir o Festival de 2020 com essa mostra.

“É muito simbólico inaugurar um evento de 53 anos por meio de cartazes, vestígios memoriais de tantos filmes e festivais de outrora. Esse tema será debate em diversas mesas”.

O gerente do Cine Brasília, Rodrigo Rodrigues, foi o responsável pela curadoria da exposição, a qual fez um recorte da força do Cine Brasília na difusão do cinema de arte internacional. “Os cartazes expostos fazem parte da memória e refletem esse cuidado que estamos tendo com acervo. Nesses cartazes, temos o cruzamento entre as linguagens do cinema e das artes gráficas”, avaliou.

* Com informações da Agência Brasília

Ler esta notícia me deixou:
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?