NAPALMA lança single sobre a destruição floresta amazônica

A faixa ainda terá um compilado de remixes com participações de produtores musicais de todo o mundo. Todas essas versões formarão o novo álbum da dupla que será lançado no dia 19/11

Se nos anos 90 o grupo de axé “É o Tchan” fez sucesso com a música “Dança do ventre” – a famosa mistura do Brasil com o Egito – , o NAPALMA vem buscando o seu lugar ao sol no cenário musical com uma mistura entre Brasil e Senegal com conexão na Alemanha. Você pode conferir essa combinação curiosa com ritmo envolvente no novo single do duo chamado ‘ Sunu Warëf ‘, lançado ontem (05/11).

Dito isto, vamos explicar melhor este conjunto. O senegalês, Abass Ndiaye, trouxe letras no seu idioma, influências e melodias da África Ocidental ao grupo. Enquanto o capixaba Cid Travaglia, veio somar nesta identidade com arranjos eletrônicos e percussões no djembe, alfaia, shakers, tambores falantes e instrumentos reciclados como garrafas de água ou leite.

‘ Sunu Warëf ‘ é uma música eletrizante, percussiva e groovy com um tempero caribenho e tem belas melodias com linhas vocais cativantes da África Ocidental. A letra do som é em wolof, uma das línguas do Senegal, que significa “Nossa missão”, onde cada pessoa tem sua própria missão na vida.

Videoclipe na Amazônia

O novo lançamento do NAPALMA tem uma forte conexão com um dos assuntos  mais falados no mundo: a destruição da floresta amazônica. Um deslumbrante videoclipe leva a banda ao coração da Amazônia, em parceria com Herve Neukomm, um viajante suíço que cruzou todo o rio Amazonas durante cinco anos em um Bici-Barco (barco movido a bicicleta). O vídeo sai no canal da dupla no dia 14/09.

O álbum

Além do single original, o novo álbum do duo é composto por um pack internacional onde diferentes estilos e origens são fundidos. O trabalho conta com remixes de SucreSoul (África do Sul), Infrared (França), Mista Monk (Austrália), Jaspe (França), Kokkosh (Egito) e Leandro Bonfim (Brasil).

A produção musical foi esculpida por Marcel Dadalto e Cid Travaglia. A arte gráfica da capa é assinada pelo designer e tatuador brasileiro Rodrigo Tas. Vale lembrar que o NAPALMA faz parte do selo alemão LONA MUSIK.

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?