fbpx

Éllen Oléria é uma das atrações do Festival São Batuque

ellen
Éllen Oléria. Foto: Renata Rangel @remrangell

Éllen Oléria é uma das atrações do festival que terá quatro episódios com diferentes temáticas e com a presenças especiais 

O Festival São Batuque neste ano ganha versão digital e comemora 15 anos ocupando os territórios afetivos e de resistência das culturas tradicionais afro-brasileiras. A transmissão será feita pelo canal YouTube do Instituto Rosa dos Ventos.

Composto por quatro episódios de diferentes temáticas, o evento traz representantes de segmentos da arte negra brasileira, como cinema, dança, literatura e gastronomia, além de encontros musicais inéditos. Tudo isso regado a muito bate-papo e shows.

Sem perder a tradição, o festival foi registrado em espaços de extrema importância para a cultura, símbolos de nossa riqueza — Ilê Axé Oyá Bagan (DF), Casa do Benin (BA), Ilê Asè Egi Omim (RJ), Ilê Asè Omi Ola (BA) foram as moradas do São Batuque 2021, durante as gravações.

Com realização da Rosa dos Ventos e fomento da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal (SECEC-DF), o projeto, que desde 2007 celebra as culturas populares de matrizes indígenas e africanas, tem por tradição homenagear divindades todos os anos. Este ano será a vez de Omulu, Orixá da cura, e de Oxum, a deusa das águas doces e do amor. Como manifesta Stéffanie Oliveira, presidente da Rosa, “essas forças regem o festival em 2021, nesse momento que fomos surpreendido na saúde física e mental, com tanto retrocesso e desrespeito, chamamos a cura e o amor! Atotô e Ora iê iê ô! Sigamos juntes, promovendo o respeito, a divulgação e a manutenção histórica dos fundamentos do popular profundo e das tradições inventadas, por meio da reverência ao toque profano e à percussão sagrada”.

Igualmente devoto, Mestre Gilvan do Vale, condutor do Tambor de Crioula de Seu Teodoro, presente no encontro, expressa seu apreço pela fé ao manifestar sua arte: “quando chega a época do festejo junino, não vejo a hora de chegar em frente ao altar para fazer minhas preces e pedir proteção a São João, para que nos fortaleça e nos conduza durante a brincadeira do Boi e do Tambor de Crioula”.

Dividido em 4 episódios sobre a cultura afro-brasileira, esta edição foi organizada a partir de diálogos sobre distintos temas acompanhados de suas respectivas apresentações musicais: Sabores e saberes — diálogo sobre Gastronomia com Atauan (DF) e Jorge Washington (BA), música com Renata Jambeiro (DF) e Awurè (RJ); Música e movimento — diálogo sobre dança com Tainara Cerqueira (BA) e Naná Viana (DF), e música com Lazir Sinval (RJ) e Larissa Umaitá (DF); Prosa e poesia — diálogo sobre literatura com Tico Magalhães (DF) e Mãe Baiana (DF), e música com Mestre Gilvan (DF) e Marcus Moraes (DF); Tela e tradição — diálogo sobre cinema com Vitor Hugo (DF) e Larissa Fulana de Tal (BA), e música com Éllen Oléria (DF) e Gabi Guedes (BA).

A cantora e compositora Éllen Oléria, uma das atrações do festival, representante dessa diversidade presente no São Batuque, fala sobre raízes e ancestralidade: “não tem como dialogar sobre identidade sem mencionar cultura afrodiaspórica. Essa nossa latinidade, aquilo que nos conecta com os povos originários das Américas é das riquezas mais bonitas. O povo preto, nesse fluxo de quilombo, nessa organização com outro tipo de hierarquia, essas tecnologias pretas de ajuntamento, que multiplica o saber em vez de aniquilar, isso é tão poderoso e tão nosso. Tanto que se alguém, nascido nessa terra, tentar se desconectar dessas tecnologias do afeto, ela não conseguirá”.

Outra atração, a cantora Lazir Sinval, compartilha sua visão sobre tradições brasileiras e espiritualidade: “são as entidades, são os orixás, que nos guiam, que nos protegem, que abrem nossos caminhos. Estamos aqui graças a essa força, a essa energia conosco diariamente. Faz parte do nosso cotidiano essa convivência com o mundo espiritual. Esse é o nosso Brasil”.

Festival Online São Batuque 2021

Data: de 20 a 23 de novembro.
Horário: 19h.
Transmissão: Canal YouTube da Rosa dos Ventos.
Formato: 4 episódios gravados.

Programação:

20/11 – Sabores e saberes — diálogo sobre Gastronomia com Atauan (DF) e Jorge Washington (BA), e música com Éllen Oléria (DF) e Gabi Guedes (BA);

21/11 – Música e movimento — diálogo sobre dança Tainara Cerqueira (BA) e Naná Viana (DF), e música com Lazir Sinval (RJ) e Larissa Umaitá (DF);

22/11 – Prosa e poesia — diálogo sobre literatura com Tico Magalhães (DF) e Mãe Baiana (DF), e música com Mestre Gilvan (DF) e Marcus Moraes (DF);

23/11 – Tela e tradição — diálogo sobre cinema com Vitor Hugo (DF) e Larissa Fulana de Tal (BA), e música com Renata Jambeiro (DF) e Awurè (RJ).

Ler esta notícia me deixou:
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?