Campanha de Vacinação Antirrábica começa em outubro

A vacina antirrábica não tem contraindicação. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil.

Ação começa na zona rural. Na área urbana ela será dividida em três etapas.

A Campanha Anual de Vacinação Antirrábica teve sua data adiada no Distrito Federal. Agora, a previsão inicial é que seja realizada em 3 de outubro, na zona rural. Na área urbana ela será dividida em três etapas, programadas para os dias 24 e 31 de outubro, e 7 de novembro. A data anterior era 29 de agosto.

De acordo com o gerente de Animais Vertebrados da Diretoria de Vigilância Ambiental (Dival), Rodrigo Menna, a alteração da data tem como objetivo minimizar as dificuldades e ganhar tempo hábil para proporcionar um atendimento melhor à população.

“Considerando a própria pandemia e a questão dos insumos, e para garantir a qualidade do serviço e uma melhor fluidez dos atendimentos, as datas foram postergadas. Mas a alteração não traz prejuízo à população. Pelo contrário, foi feita para proporcionar o melhor serviço possível”, destacou Rodrigo.

Proteja seu animal de estimação

A raiva pode gerar uma encefalite aguda capaz de levar as vítimas ao óbito em praticamente 100% dos casos. A doença acomete todas as espécies de mamíferos, inclusive, seres humanos.

O vírus da raiva fica presente na saliva de animais infectados e é transmitido principalmente por meio de mordeduras e, eventualmente, pela arranhadura e lambedura de mucosas ou pele lesionada.

Criado pelo Ministério da Saúde, em 1973, a campanha anual de vacinação contra raiva é um importante pilar do programa de vigilância sanitária. O objetivo principal é manter, no curto prazo, uma parcela significativa dos animais domésticos imunes ao vírus, evitando novos contágios.

Atualmente, estima-se que a população de cães e gatos em todo o Distrito Federal seja de 345.033, sendo 308.419 cães e 36.613 gatos. A expectativa é vacinar pelo menos 80% da população animal.

Sinais clínicos suspeito de raiva

Quando o animal está contaminado com o vírus da raiva pode tornar-se agressivo, mordendo pessoas, animais e objetos, ou ficar triste, procurando lugares escuros; Fica de boca aberta e com muita salivação; Recusa alimento ou água, tendo dificuldade de engolir (parecendo engasgado); Fica sem coordenação motora, passa a ter convulsões, paralisia das patas traseiras (como se estivesse descadeirado); e no estagio final a paralisia total e morte.

No Distrito Federal, o último caso da raiva humana foi registrado em 1978. Em animais domésticos o caso mais recente diagnosticado, de raiva em cães foi em 2000 e, em gatos, no ano de 2001.

Para manter os animais imunizados todos os cães e gatos da casa devem ser vacinados a partir dos três meses de vida. A vacina antirrábica não tem contraindicação podendo ser administrada em fêmeas prenhes e em lactação.

 

 

*Com informações da Secretaria de Saúde

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?