Autódromo de Brasília poderá reabrir ainda neste ano

autódromo
As corridas em Brasília contavam sempre com arquibancadas lotadas. Foto: Larissa Leite

Emerson Fittipaldi foi o vencedor na corrida de inauguração do autódromo em Brasília, a pista não recebe competições desde 2014

Uma novela que dura, praticamente, sete anos já: a revitalização do Autódromo Internacional de Brasília. Inaugurada em 1974 com uma corrida de Fórmula 1, que foi vencida por Emerson Fittilpaldi, a pista foi fechada em 2014 para obras. A intenção naquele momento era colocar a cidade nos calendários de categorias internacionais como a Fórmula Indy e a Moto GP. De fato, parte do asfalto foi revitalizado, mas a obra parou.

De lá para cá, houveram algumas tratativas, mas nesta semana aconteceu o anúncio que muitos esperavam: a possível volta de Brasília para o universo da velocidade. A Vicar, promotora da Stock Car Series, em parceria com o BRB, atual patrocinador da Stock Car, vai comandar a reforma do Autódromo Nelson Piquet.

Segundo o acordo, a pista deverá receber a Stock Car no dia 12 de dezembro deste ano para a última corrida do ano da categoria, claro, desde que haja condições para tal, o circuito precisa ainda receber a homologação da Confederação Brasileira de Automobilismo.

“Acho que falo em nome de todo fã brasileiro ao dizer que estou muito feliz com a retomada do autódromo de Brasília, que está inativo desde 2014. É uma das pistas mais importantes do continente, tanto por ser na nossa Capital Federal, quanto por sua história, qualidade do seu traçado e por ser berço de nomes como Nelson Piquet, Alex Dias Ribeiro, Roberto Moreno e tantos outros”, destaca Fernando Julianelli, CEO da Vicar.

A reforma inclui os 5,4 quilômetros de pista, assim como a instalação de toda a infraestrutura necessária para voltar a receber as corridas.

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, em visita ao autódromo, acredita que “o projeto está sendo elaborado e agora vai para a licitação da obra. Esperamos que num prazo de cinco meses tudo esteja reformado e em pleno funcionamento, para que a gente possa ter o autódromo devolvido para a população do DF”.

“Brasília tem tradição no automobilismo. Participar da recuperação do autódromo, e poder trazer a Capital Federal de volta ao circuito da Stock Car, a mais importante categoria nacional do automobilismo, é motivo de orgulho para o BRB”, afirma o presidente do Banco, Paulo Henrique Costa.

Autódromo de Brasília

O primeiro capítulo do circuito foi escrito com a presença da Fórmula 1 na cidade. Em uma corrida de exibição, sem valer pontos para o campeonato, Emerson Fittipaldi, bicampeão da categoria, foi o grande vencedor.

Anos mais tarde, em 1996, Nelson Piquet firmou uma parceria com o governo local e se tornou o arrendatário do local e então, o autódromo ganhou o nome do tricampeão de Fórmula 1. 

Em 2006, a parceria terminou e o autódromo voltou a ser do governo local. Daquele ano até 2014, Stock Car, Fórmula Truck, Copa Clio, Renault Speed Show e outros eventos do mundo motor andaram ou no anel externo ou na pista interna, que tem um traçado bastante técnico.

autódromo
Helio Castroneves, direita, esteve em Brasília em 2006 para acompanhar o seu time na categoria, a equipe foi a vencedora naquele fim de semana. Foto: Larissa Leite

Além da família Piquet com Nelsinho Piquet, com passagem pela F1 e atualmente na Stock Car, e Geraldo Piquet, vice-campeão na Fórmula Truck, outros nomes fazem parte da história do automobilismo da cidade. Amir Nasr, que chegou a ser convidado a ter uma equipe na Indy, montou a oficina da sua equipe dentro do autódromo. Lá era possível ver troféus, os carros de fórmula e de turismo. Em 2006, Nasr teve um time que disputou a Stock Car, a equipe contava com a parceria do tricampeão das 500 milhas de Indianápolis, Helio Castroneves. 

Não se pode esquecer que Amir é tio de Felipe Nasr, piloto que chegou a disputar uma temporada completa na Fórmula 1.

Outro nome que foi destaque no automobilismo internacional e é prata da casa é Vitor Meira. O brasiliense disputou a Fórmula Indy e quase venceu a principal corrida da categoria, as 500 Milhas de Indianápolis.

Em 2014, o governador da época, Agnelo Queiroz, assinou um contrato para realizar a Brasília Indy 300, e as obras de revitalização do asfalto começaram, no entanto, em março do ano seguinte, o acordo com os americanos foi desfeito e o autódromo está fechado desde então.

autódromo
Tony Kanaan em Brasília durante coletiva de imprensa. Foto: Larissa Leite

Foi em Brasília que o campeão da Indy e vencedor das 500 milhas de Indianápolis, Tony Kanaan, correu pela primeira vez em um Stock Car. O piloto se divertiu na época e reconheceu o desafio de guiar um carro de turismo. Kanaan está de volta à categoria neste ano e poderá voltar a correr na cidade em breve, depende agora do sucesso da reforma.

 

*Com informações da Agência Brasília

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?